Como fazer compras online em segurança

A economia digital é uma realidade cada vez mais atual da nossa sociedade. Poucas são as lojas que hoje não atuam de uma forma também digital, ou seja, que permitem aos seus clientes a compra dos seus produtos através da internet. Mas há que tomar atenção a alguns fatores.

Muitas pessoas acabam por preferir este tipo de comércio quer por falta de tempo em deslocar-se à loja física quer por preguiça de passar horas à procura da peça certa. Há ainda uma outra massa populacional que não vive perto de zonas comerciais e que vê nas compras online a sua grande salvação. Para além do mais, é muito comum algumas marcas terem disponíveis mais peças online do que nos seus espaços físicos.

Mas as compras no mundo da internet podem trazer consigo alguns riscos. Que levante o braço quem nunca ouviu uma história de um cartão de crédito clonado, produtos que não correspondem às fotografias ou à descrição ou ainda tantos outros problemas no que respeita à devolução de alguma compra que não ficou exatamente na medida certa. Embora não exista uma regra exata que a faça ter a certeza de que tal não vá acontecer, existem sim alguns conselhos importantes para que esta não se torne na sua realidade.

Percorra a galeria de imagens e confira algumas dicas que podem evitar que a sua experiência de compras online se transforme num autêntico pesadelo.

1 – Mantenha o seu dispositivo seguro. Certifique-se sempre que o gadget utilizado para as compras está devidamente protegido. Tenha sempre o dispositivo atualizado e, de preferência, com um antivírus instalado. É importante saber também se tem um licença que a permita pedir apoio se necessário.

2 – Confira se o site é de confiança. É muito importante ver se o site onde está a fazer compras é seguro. Pode fazê-lo lendo comentários e reviews, vendo as condições exigidas para fins de efetuar uma compra, fazendo uma pesquisa sobre a loja e empresa.

3 – Certifique-se que a sua conexão é segura. Quando estiver a digitar os seus dados pessoais ou números de cartões de crédito, assegure-se que tem uma conexão segura que não facilite o roubo destas informações. Um dos grandes passos é não fazer conexões a partir de redes públicas e abertas, que facilmente podem ser intercetadas.

4 – Cuidado com as “ofertas irresistíveis”. Muitas vezes os sites colocam descontos fabulosos, preços ridiculamente baixos e outras técnicas para intensificar o desejo de compra, mas muitas vezes estes mecanismos vêm com surpresas menos agradáveis associadas – especialmente se forem artigos em segunda mão com preços demasiado bons para ser verdade.

5 – Atenção aos protocolos de segurança. Mais do que segurança, falamos mesmo de privacidade. Alguns sites pedem demasiada informação pessoal, dando a desculpa de que é para sua segurança, mas muitas vezes interferem mesmo com a sua privacidade. Preencha apenas os campos estritamente necessários, porque nunca sabe para onde esse tipo de dados pode ir.

6 – Pague, na medida do possível, com sistemas que permitam devoluções. Errar no número das calças ou o produto não vir exatamente como pretendia são alguns problemas que podem surgir quando realiza compras online. Para evitar perder o seu investimento de forma desnecessária, tente sempre verificar o sistema de devoluções (muitas vezes o feedback de outros utilizadores ajuda nesta perceção)

7 – Escolha senhas mais robustas e menos óbvias. Evite repetir senhas pessoais em várias lojas ou mesmo utilizar a sua senha habitual (e-mail, redes sociais) neste tipo de comércio. Esta medida pode evitar ser hackeada mais facilmente.

8 – Guarde todas as faturas e recibos de compra. Ainda que a compra seja feita online, não quer dizer que não possa pedir uma fatura eletrónica da compra. É sempre um comprovativo em caso de necessidade.

9 – Saiba reagir rapidamente no caso de ver a sua conta roubada. Mesmo seguindo todos estes conselhos, há sempre a hipótese de algo correu mal, por isso saiba reagir no momento certo. Esteja sempre atenta a movimentos duvidosos. Caso veja esta situação acontecer, contacte de imediato a sua instituição bancária e peça apoio para fins de cancelar o cartão e pedir outro. Fazer queixa na polícia é também um passo importante, tentando sempre facilitar o máximo de informação disponível.

Fonte: Delas

 

O que fazer se sua encomenda não chegou.

Antes de registrar uma reclamação no Fale com os Correios, consulte o status do objeto na página de Rastreamento de objetos dos Correios, lembrando que só os objetos registrados podem ser rastreados.

Todos os serviços de encomendas no Brasil são registrados. No caso de cartas, pode-se optar por postá-las simples ou registradas.

As encomendas têm rastreamento que permite a visualização mais detalhada do trajeto percorrido, da origem até o destino. Por sua vez, as cartas registradas possuem apenas rastro na origem e no destino.

As reclamações por atraso na entrega só podem ser feitas se os prazos de entrega do objeto estiverem expirados. Para consultar os prazos de entrega, acesse o calculador de preços e prazos, informando a data de postagem do seu objeto.

O limite de prazo para reclamação de objetos registrados nacionais é de 30 dias, a contar da data prevista de entrega.

Fonte: Correios (Leia mais)

A entrega não pode ser efetuada – Carteiro não atendido

São 3 possibilidades

  • Você estava ausente, então;
    • Será realizada nova tentativa de entrega
    • O que fazer: Acompanhar a entrega
  • Você estava ausente e foi informado que precisa retirar na unidade:
    • Encaminhado para entrega interna
    • Aguarde: Objeto estará disponível para retirada na unidade a ser informada.
    • O que fazer: Acompanhar a entrega. O interessado deverá buscar o objeto em uma Unidade dos Correios.
  • Destinatário ausente em 3 tentativas de entrega:
    • Objeto em devolução ao remetente
    • O que fazer: Acompanhar o retorno do objeto ao remetente.