Correios fecharão 41 agências neste mês

Medida faz parte de um processo de otimização e readequação das agências

Os Correios irão fechar neste mês 41 agências que estão em imóveis alugados e próximas a outras unidades.

“O processo de otimização e readequação das agências prevê a desativação de 41 unidades de atendimento, já neste mês de outubro, que ocupam imóvel alugado e estão sombreadas por outras agências próximas, com distância não superior a 2km”, informou os Correios ao G1.

A estatal justificou que a desativação das unidades faz parte de um “processo de remodelagem da rede de atendimento, por meio da otimização e realocação dos recursos existentes, que, além de colaborar com a sustentabilidade da empresa, resultará em melhorias no atendimento aos cidadãos”.

Segundo nota enviada ao G1, os Correios informaram que novos modelos de atendimento serão implementados, com o objetivo de ampliar a rede de agências de 12 mil pontos de atendimento para aproximadamente 15 mil até 2021. Uma das inovações será a implantação de agências móveis de forma gradativa a partir do ano que vem.

“Informações sobre o encerramento das atividades da agência e sobre as unidades que poderão realizar o atendimento serão comunicadas amplamente à população e imprensa locais”, informou a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT).

Questionada sobre o total de agências que já foram fechadas, a estatal não respondeu. Mas garantiu que não haverá demissões de funcionários com a desativação das agências.

Em entrevista ao G1 em junho, o presidente da estatal, Carlos Fortner, disse que, para ser economicamente viável, uma agência precisa fazer, em média, 270 atendimentos diários, mas algumas registram número muito inferior.

Ele disse na ocasião que servidores que não forem mais necessários poderão ser transferidos para outras áreas dos Correios ou serem cedidos para outros órgãos.

Os Correios fizeram dois planos de demissão em 2018. Segundo Fortner, não há previsão de outro plano para este ano.

Fortner informou ainda que a ECT deve disponibilizar serviços já ofertados pelos concorrentes do setor de encomendas, como o “porta a porta”, em que o carteiro busca a encomenda na casa do cliente e a entrega no local de destino, e o de entrega feita por motoboys, que substituiriam os carteiros motorizados, reduzindo o custo do serviço.

Fonte: G1 (Leia o artigo completo)

Faltam envelopes e caixas em agências de Fortaleza

| Serviço de postagem | Situação estaria ligada a dificuldades financeiras da estatal. Clientes precisam comprar material em bancas de revista para enviar as encomendas

A Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) fechou o segundo trimestre de 2018 com lucro líquido de R$ 111 milhões. No entanto, a estatal teve prejuízo de R$ 120 milhões no período. Os efeitos da conta no vermelho destes últimos cinco anos são percebidos nos serviços prestados em Fortaleza. O POVO visitou três agências e observou a falta de materiais básicos para a preservação e despacho de encomendas.

No Centro, os clientes têm de recorrer a bancas de revista no entorno da rua Senador Alencar para comprar envelopes, caixas e empacotá-las. Foi esse o jeito que o artesão Nonato Araújo, 45, encontrou para enviar mercadorias às outras cidades.

Está cada vez pior. Não tem nem fita adesiva para fazer a embalagem. E, apesar de faltar tudo, as taxas encarecem“, relata. A unidade está sem material há uma semana. Mas a situação é frequente, segundo o comerciante Leal, que começou a vender envelopes após perceber a nova demanda. Os artigos de papel custam de R$ 0,20 a R$ 1,50. Para embalar, ele cobra de acordo com o tamanho. Os preços praticados pela estatal variam de R$ 2,50 a R$ 20,40.

Quem utiliza os serviços postais com frequência sabe bem que a situação não é de hoje. O representante Eduardo Macedo, 40, chegou na agência da rua Maria Tomásia, na Aldeota, com o objeto já embalado. “Trago assim porque sei que posso não encontrar“, destaca. Não tinha mesmo. A unidade não dispõe mais de caixas e envelopes plásticos de segurança (Sedex) há um mês. Também faltam sacos nos Correios da avenida Senador Virgílio Távora, na Aldeota.

Procurada pelo O POVO, a estatal não justificou a falta do material. Informou apenas que “o processo de contratação com os fornecedores já foi finalizado e as embalagens já estão sendo produzidas e entregues conforme os pedidos realizados pelas agências“.

Para Alessandra Benevides, professora do curso de Ciências Econômicas da Universidade Federal do Ceará (UFC) em Sobral, a situação é reflexo de problemas fiscais e orçamentários do Governo Federal. “A crise atinge todas as instituições federais e, como não há uma gestão eficiente, vai se agravando“, aponta. Para ela, abrir o capital dos Correios seria uma alternativa para gerar lucratividade e melhorar os serviços. “É preciso quebrar o monopólio, pois, quando abre para a concorrência, gera um incentivo da eficiência“, observa, destacando que é necessário também rever o modelo de gestão da empresa.

O economista Alex Araújo acrescenta que os Correios também têm enfrentado dificuldades de se posicionar no mercado diante dos avanços tecnológicos, o que tem diminuído receita.

“A estatal deve pensar o que ofertará de serviço daqui para a frente e remodelar o seu papel”, explica. Ele diz que a cobrança de R$ 15 por encomenda importada, serviço que começou a ser taxado no último mês de agosto, já demonstrou que a estatal pode reverter a situação ao se adequar às novas demandas.

Fonte: O Povo (Leia o artigo completo)

Aluno de Bauru ganha selo personalizado em concurso dos Correios

Desenho de Renzo Vitorino de Oliveira Dias, 10 anos, estudante da rede municipal de ensino, foi o vencedor da iniciativa promovida pelos Correios e Secretaria Municipal de Educação.

A Secretaria Municipal da Educação, em parceria com os Correios, realizou nesta segunda-feira (25) a entrega do prêmio referente ao “Concurso de Arte Juvenil-Brasil rumo a Copa 2018” no Núcleo de Ensino Renovado Lydia Alexandrina Nava Cury, no Núcleo Geisel.

O vencedor, Renzo Vitorino de Oliveira Dias, de 10 anos, recebeu como premiação o seu desenho transformado em selo personalizado. Para eleger o campeão, foram utilizados os seguintes critérios: criatividade, originalidade, legibilidade e adequação ao tema proposto.

O concurso teve como objetivo a eleição da arte no tema “Brasil Rumo à Copa 2018” para ser impresso no formato de selo personalizado na Superintendência Estadual de Operações dos Correios São Paulo Interior. Além disso, o concurso promoveu a participação da população juvenil em atividades culturais, através da divulgação da filatelia (estudo dos selos) e a capacidade de interesse de jovens pelo universo dos selos.

Para participar da competição os alunos tinham que produzir um desenho que fizesse alusão ao tema “Brasil Rumo à Copa 2018” retratando a visão que tinham sobre o Campeonato Mundial de Futebol 2018 realizado na Rússia. O concurso teve a participação dos estudantes da Educação Pública Municipal do Ensino Fundamental.

A entrega da premiação a Renzo foi feita pelo Gerente da Agência Filatélica de Bauru, Heverton Pagliaci. Os pais do aluno vencedor também participaram da premiação. Os demais alunos participantes receberam como prêmio de participação e reconhecimento um kit Correios com itens da filatelia.

Fonte: JCNET (Leia o artigo completo)

Com taxa em compras internacionais, Correios afastam AliExpress do Brasil

Taxa de 15 reais em despacho de encomenda internacional desestimula ainda mais e-commerces chineses por aqui. 22 milhões de brasileiros compram no exterior.

Os famosos “negócios da China” acabaram de se tornar menos atraentes. Os Correios anunciaram nesta semana uma taxação que pode comprometer as compras de 22 milhões de brasileiros em e-commerces internacionais. Todas as encomendas que chegarem ao Brasil pelo serviço postal estão sujeitas à cobrança de uma taxa extra de despacho, no valor fixo de 15 reais.

A medida já está valendo, segundo os Correios. A estatal afirma em nota que o serviço de despacho postal era cobrado apenas para objetos tributados pela Receita Federal. Mas, com o aumento das importações, a estatal “precisou injetar mais recursos na operação”. Esse é mais um capítulo na saga dos Correios, que tentam se recuperar de uma crise econômica que há anos assombra o serviço postal.

Apesar de a taxa fixa incidir sobre todas as encomendas internacionais, as compras que devem ser mais afetadas são as de valores menores. É o caso da maioria das aquisições feitas em lojas online chinesas, como AliExpress e DealeXtreme (DX.com), ou em e-commerces internacionais que revendem produtos chineses, da gigante Amazon ao unicórnio Wish.

De acordo com In Hsieh, CEO da Chinnovation, o ticket médio das compras brasileiras nos e-commerces chineses é de 50 reais, possibilitados também por políticas de descontos agressivos e de fretes grátis. Enquanto isso, o ticket médio do comércio eletrônico brasileiro em geral fica em 418 reais, segundo o relatório Webshoppers, da Ebit. “Nesse sentido, 15 reais é um valor muito significativo. A diferença de preço ainda pode compensar em alguns casos, mas certamente as compras irão diminuir”, diz Hsieh.

Ainda de acordo com o Webshoppers, cerca de 22 milhões de brasileiros realizaram compras no exterior pela internet no ano passado, 40% do total de clientes do comércio eletrônico. O total gasto em e-commerces internacionais passou dos 36 bilhões de dólares, mais do que os 47,7 bilhões de reais de faturamento das empresas nacionais de comércio eletrônico.

Mais da metade desses 22 milhões de brasileiros foram clientes do AliExpress, o maior expoente do e-commerce chinês em terras brasileiras. Criado em 2010, o portal de venda de produtos abaixo do custo conecta diretamente os fabricantes chineses com compradores particulares, especialmente de fora da China. O negócio já passou dos 100 milhões de clientes no estrangeiro.

Fonte: Exame (Leia o artigo completo)

Esporte Time Correios Brasil vence EUA e se classifica para as quartas da Copa Davis Junior

Equipe brasileira disputa primeiro lugar do grupo contra a Grã Bretanha, nesta quinta

O Time Correios Brasil conquistou uma excelente vitória sobre os Estados Unidos, nesta quarta-feira (26), em Budapeste, na Hungria, e está classificado para as quartas de final da Davis Cup Junior. A equipe comandada pelo capitão Rodrigo Ferreiro venceu os norte-americanos por 2 a 1, com a decisão na dupla.

No primeiro jogo, o catarinense Pedro Boscardin acabou superado por Damm Martin em três sets, por 4/6, 6/1 e 6/1. Na sequência, o baiano Natan Rodrigues venceu Lee Alexander por 7/6 (4) e 6/3 e deixou tudo igual. E, nas duplas, Natan e o mineiro Bruno Oliveira não deram chances para Martin e Alexander e ganharam por 6/2 e 6/0.

Nesta quinta, o Brasil decide o primeiro lugar do Grupo B contra a Grã-Bretanha, que também venceu os dois confrontos e está classificada.

Foi uma excelente vitória. Os Estados Unidos eram um time bem forte. No primeiro jogo a vitória escapou, o Pedro teve chance, mas acabou perdendo. Ficou 1 a 0 para eles. No segundo jogo, o Natan entrou bem concentrado, fez tudo certo, era um jogo duríssimo também, teve alguns problemas durante a partida, mas conseguiu sair do buraco e acabou ganhando em dois sets. E, na dupla, os guris jogaram num alto nível de tênis e ganharam por 6/2 e 6/0, sem darem nenhuma chance para os americanos”, comemorou o capitão Rodrigo Ferreiro, o Paragua.

Hoje foi um baita dia para nós, conseguimos a classificação antecipada, mas vamos em busca do primeiro lugar do grupo amanhã [quinta-feira] contra a Grã-Bretanha, que é importante para o cruzamento lá na frente com as outras equipes depois”, ressaltou.

Feminino é superado pela Letônia e disputará do nono a 16º lugar

Já a equipe feminina acabou superada pela Letônia, por 3 a 0, e disputará do nono ao 16º lugar. Camilla Bossi perdeu por 6/1 e 6/2 para Patricia Spaka, Lorena Cardoso foi derrotada por duplo 6/1 para Kamila Bartone e Camila e Nalanda Silva foram superadas por Stefania Poliscuka e Spaka por 6/3 e 6/2.

Nesta quinta-feira (27), a equipe comandada pela capitã Fernanda Ferreira faz o último jogo da fase de grupos contra o Japão.

Fonte: Portal Giro (Leia o artigo completo)