Correios lançam “Caixa Inteligente” para entrega de encomendas em condomínios

Seguindo o exemplo de outras empresas como a Amazon, os Correios anunciaram nesta semana a sua nova “Caixa de Correio Inteligente”. De acordo com a estatal, o serviço deve ajudar aos consumidores que geralmente não estão em casa na hora da entrega.

Diante de um cenário no qual as pessoas raramente estão em suas residências em horário comercial, as ocorrências de insucesso na entrega de encomendas são comuns em condomínios sem portaria. Com o objetivo de contribuir para que as encomendas cheguem às mãos de seus destinatários de forma cômoda e conveniente, os Correios oferecem a solução das caixas de correio inteligentes.

A solução consiste na distribuição de encomendas em caixas automatizadas, sem que haja a necessidade de presença do cliente ou até mesmo de outra pessoa responsável pelo recebimento. Essas caixas devem ficar localizadas em condomínios de cidades como Brasília, Goiânia, Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre, Florianópolis, São Paulo, Campinas e mais.

Segundo os Correios, os condomínios interessados na solução devem adquirir os equipamentos diretamente de fornecedores previamente autorizados. Isso porque as caixas inteligentes precisam ter um padrão mínimo para que o serviço seja prestado com eficiência. A estatal explica como tudo funciona:

  • Quando houver encomendas destinadas a condomínios, o carteiro acessará o equipamento
  • O carteiro deve escolher a dimensão do compartimento e selecionar a unidade habitacional à qual a encomenda se destina. Com isso, ele deve depositar o volume no escaninho.
  • Para retirar a encomenda, o morador deve se identificar na caixa de correio inteligente. Assim, o equipamento se destravará automaticamente

Os Correios também oferecem uma opção para que o consumidor seja notificado por SMS quando a encomenda estiver disponível para ser retirada. Por enquanto, a novidade só está disponível em algumas localidades, mas a estatal busca expandir o serviço para todo o país. Para verificar se a “caixa inteligente” já pode ser usada em seu condomínio, basta acessar este link.

Fonte: Tudo celular

Correios testa novas soluções de atendimento para clientes

Em comemoração ao Dia do Consumidor, os Correios iniciam nesta sexta-feira (15) os primeiros testes com três terminais de autoatendimento para a compra de embalagens e postagem de encomendas. Com o objetivo de melhorar e modernizar a experiência dos clientes, os protótipos serão instalados na cidade de São Paulo, nas agências Marquês de Itu, Central e Bom Retiro.

O equipamento de postagem da agência Central oferecerá o serviço de envio de encomendas Sedex e PAC, precificados com base nas dimensões do objeto, CEP de origem e destino e serviços adicionais, da mesma maneira que no guichê convencional.

O terminal de autoatendimento no Bom Retiro oferecerá a solução simplificada para a postagem de encomendas Sedex e PAC, precificados com base na cubagem: pacotes nos tamanhos P, M e G e envelope.

Na agência Marquês de Itu, estará disponível um terminal para aquisição de embalagens de forma automatizada, onde poderão ser adquiridos envelopes plásticos tamanho grande, além de três tipos de caixas. Nos terminais de postagem de encomendas, o pagamento poderá ser realizado por meio de cartão de crédito ou débito e no equipamento de compra de embalagem, estará disponível somente a opção cartão de crédito.

Outros equipamentos serão testados nas agências Central de Goiânia/GO, Central de Porto Alegre/RS, Blumenau e Floresta/SC, e São Bernardo do Campo/SP.

Após a finalização dos testes, prevista para julho deste ano, serão consolidadas as informações para apuração da tecnologia mais adequada ao negócio.

Esta é mais uma iniciativa dos Correios dentro do processo de remodelagem de sua rede de atendimento. O projeto prevê a implantação de novos canais, físicos e digitais, que proporcionarão maior comodidade aos clientes.

Fonte: Chicoterra

Correios anunciam aumento médio de 8,03% para Sedex e PAC

Os Correios anunciaram o reajuste médio de 8,03% nos serviços de Sedex e PAC a partir do dia 6 de março. Os percentuais de reajustes podem variar de acordo com as regiões, uma vez que os custos de operação também são distintos, segundo a estatal.

De acordo com os Correios, o valor médio é próximo à variação do IGP-M de 2018, que foi de 7,54%.

No ano passado, as tarifas de Sedex e PAC tiveram aumento que variou de 8% a 51%, quando a inflação ficou em torno de 3%, o que acabou gerando protestos por empresas de e-commerce.

De acordo com os Correios, desta vez, haverá redutores de preço de até 4% para o PAC em contratos de varejo, para os clientes que realizarem a pré-postagem de forma eletrônica.

A estatal explica que, para a manutenção dos redutores de preço nas postagens de encomendas das micro e pequenas empresas, há o pacote básico que pode ser contratado pela internet e oferece preços mais competitivos em relação aos praticados na modalidade de pagamento à vista, além de permitir faturamento das postagens e não possuir cobrança de valor mínimo mensal.

Os Correios anunciaram ainda a retomada do pacote de serviços Encomenda 1 – que estava suspensa desde o ano passado -, com cobrança mínima mensal de R$ 1 mil em consumo de serviços de encomendas. Os clientes que não atingirem esse valor podem optar pelo pacote básico que isenta a cobrança de cota mínima.

Outra novidade será o fim da exigência de quantidade mínima de encomendas. A concessão dos pacotes de serviços de encomendas será norteada pelo valor mínimo mensal.

Outros reajustes foram anunciados na semana passada nas tarifas postais. A correção média autorizada para este ano é de 0,3893% para serviços nacionais e internacionais.

Na semana passada, os Correios lançaram uma ferramenta que traz produtos importados dos EUA para o Brasil.

Em agosto do ano passado, os Correios começaram a cobrar R$ 15 de todas as encomendas internacionais que chegarem ao país pela empresa. Esse despacho postal só era cobrado de objetos tributados pela Receita Federal, mas, segundo a estatal, o aumento das importações a obrigou a cobrar de todas as encomendas para manter “o padrão do serviço”.

Fonte: G1 (Lei mais)

Diário Oficial publica novos valores de serviços dos Correios

Os Correios reajustaram hoje (31) as tarifas de alguns dos serviços. A tabela com os novos preços está publicada no Diário Oficial da União.

O telegrama nacional redigido pela internet, por exemplo, passou de R$ 8,15 por página, para R$ 8,19. O preço dos primeiros portes da carta comercial e a carta não comercial permanecerão os mesmos, de R$ 1,95 e R$ 1,30, respectivamente. A correção média deste ano, de 0,3893%, também não incide sobre os segmentos de encomendas e marketing, que são concorrenciais.

De acordo com a Portaria nº 349/2019, do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, o reajuste, válido para serviços nacionais e internacionais, tem por base o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) acumulado de outubro a dezembro de 2018.

Fonte: Agência Brasil (Leia mais)

Documentos perdidos podem estar disponíveis nas agências dos Correios

Com as festas de fim de ano, é muito comum a perda de documentos pessoais. Para ajudar o cidadão a encontrá-los, os Correios oferecem o serviço Achados e Perdidos, disponível em todas as agências centrais do país. A consulta à relação de documentos disponíveis para retirada pode ser feita em qualquer unidade ou no site dos Correios.

Instituído há mais de 30 anos, o serviço tem como objetivo encurtar o tempo e reduzir o custo da busca por documentos perdidos. Mensalmente, em todo o Brasil, mais de 20 mil documentos são disponibilizados para retirada, no entanto, apenas 3% deles são procurados e devolvidos aos proprietários. Os demais são remetidos ao órgão emissor.

Aqueles que encontrarem documentos de terceiros podem depositá-los no guichê de qualquer agência dos Correios ou em caixas de coleta. Uma vez recebidos, os documentos são acondicionados em envelopes e guardados, ficando disponíveis para retirada durante 60 dias.

Para retirar o documento perdido, o cidadão deve apresentar outro documento que comprove sua titularidade e pagar uma tarifa de R$ 5,70. Documentos sob a guarda dos Correios só poderão ser entregues aos proprietários ou seus representantes legais, devidamente reconhecidos. Caso seja constatado que o documento perdido esteja em uma cidade diferente da qual o proprietário se encontra, é possível fazer uma solicitação para que ele seja enviado à agência mais próxima.

Fonte: Chico Terra (Leia mais)