Frente Parlamentar em defesa dos Correios reafirma compromisso com trabalhadores

Frente Parlamentar em defesa dos Correios reafirma compromisso com trabalhadores

Defender os Correios como empresa pública é um compromisso com a soberania nacional. O papel que desempenham milhares de funcionários é essencial nesse trabalho social que interliga o Brasil de ponta a ponta. Por essas razões, na quarta-feira (19), foi lançada na Câmara dos Deputados a Frente Parlamentar em Defesa dos Correios, que será presidida pelo deputado Leonardo Monteiro (PT-MG).

O lançamento da Frente ocorre no mesmo dia em que a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos completa 50 anos, apesar de acumular 356 de serviços postais no Brasil. Apesar de ser um patrimônio nacional, a estatal sofre com tentativas de privatização e constante sucateamento. O deputado Leonardo Monteiro ressaltou a necessidade da união das entidades representativas de classe com a Frente:

“A importância da Frente é o diálogo e a voz dada aos trabalhadores, principalmente nos últimos anos com uma onda de retrocessos, retirada de direitos e frequentes tentativas de privatização e ataque à soberania nacional. Os Correios tem papel fundamental na integração regional. Vamos continuar trabalhando na Frente pelo diálogo, em defesa da estatal e seus trabalhadores e na construção de alternativas por um Correios público e de qualidade”.

José Rivaldo, da Federação dos Trabalhadores dos Correios (Fentect), defendeu maior mobilização contra a privatização dos Correios.

“Chegamos a esse dia com várias ameaças, mas precisamos acreditar em nós, que fazemos os Correios no dia a dia. Se não dermos as mãos, corremos o risco de terminar o ano entregues à iniciativa privada. A Federação está disposta em manter os Correios 100% público”.

Para o deputado federal Vicentinho (PT-SP), o posicionamento da direção da empresa é fundamental para sua defesa.

“Um exemplo é Minas Gerais que tem muitas cidades pequenas e o fechamento de agências é um prejuízo. Desejo que a nova direção tenha uma postura mais estadista”, ressaltou.

Participaram ainda da atividade da Frente os deputados Nilto Tatto (PT-SP), João Daniel (PT-SE), Carlos Veras (PT-PE), Rogério Correia (PT-MG), José Ricardo (PT-AM), Zé Carlos (PT-MA), além dos dirigentes da Federação dos Trabalhadores dos Correios (Fentect), José Rivaldo da Silva; da Federação Interestadual de Sindicatos dos Trabalhadores dos Correios (Findect), Manoel de Lima Feitosa; da Associação dos Profissionais dos Correios (Adcap), José Maria dos Santos Silva; da Associação dos Analistas dos Correios do Brasil (AACB), Jailson Pereira; da Associação Nacional dos Trabalhadores dos Correios (Anatect), Edilson Nery; o representante dos Correios, Gilmar Castello, e lideranças políticas e representantes de movimentos sociais.

Assessoria de Comunicação

FONTE: https://ptnacamara.org.br

Funcionários dos correios são presos em Curitiba

Três funcionários dos correios foram presos nesta quinta-feira 28/02 de manhã em Curitiba. Segundo a polícia, eles violavam encomendas internacionais e roubavam os conteúdos, inclusive drogas sintéticas, que entram ilegalmente no país. Veja mais detalhes na reportagem a seguir.

Fonte: Ric mais

Agência Curitiba

PF prende funcionários dos Correios que roubavam encomendas internacionais em Curitiba

Três empregados e funcionários terceirizados dos Correios foram presos na manhã desta quinta-feira (28) pela Polícia Federal (PF) de Curitiba. Os agentes cumprem sete mandatos judiciais: quatro de prisão temporária e quatro de busca e apreensão. Três mandados de busca e apreensão são em Curitiba e um em Pinhais, na região metropolitana.

Todos os investigados trabalhavam na triagem de encomendas internacionais. Eles foram presos no Centro de Encomendas Internacionais dos Correios em Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, durante o expediente na manhã desta quinta.

FONTE: https://www.gazetadopovo.com.br

Correios fecharão 41 agências neste mês

Medida faz parte de um processo de otimização e readequação das agências

Os Correios irão fechar neste mês 41 agências que estão em imóveis alugados e próximas a outras unidades.

“O processo de otimização e readequação das agências prevê a desativação de 41 unidades de atendimento, já neste mês de outubro, que ocupam imóvel alugado e estão sombreadas por outras agências próximas, com distância não superior a 2km”, informou os Correios ao G1.

A estatal justificou que a desativação das unidades faz parte de um “processo de remodelagem da rede de atendimento, por meio da otimização e realocação dos recursos existentes, que, além de colaborar com a sustentabilidade da empresa, resultará em melhorias no atendimento aos cidadãos”.

Segundo nota enviada ao G1, os Correios informaram que novos modelos de atendimento serão implementados, com o objetivo de ampliar a rede de agências de 12 mil pontos de atendimento para aproximadamente 15 mil até 2021. Uma das inovações será a implantação de agências móveis de forma gradativa a partir do ano que vem.

“Informações sobre o encerramento das atividades da agência e sobre as unidades que poderão realizar o atendimento serão comunicadas amplamente à população e imprensa locais”, informou a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT).

Questionada sobre o total de agências que já foram fechadas, a estatal não respondeu. Mas garantiu que não haverá demissões de funcionários com a desativação das agências.

Em entrevista ao G1 em junho, o presidente da estatal, Carlos Fortner, disse que, para ser economicamente viável, uma agência precisa fazer, em média, 270 atendimentos diários, mas algumas registram número muito inferior.

Ele disse na ocasião que servidores que não forem mais necessários poderão ser transferidos para outras áreas dos Correios ou serem cedidos para outros órgãos.

Os Correios fizeram dois planos de demissão em 2018. Segundo Fortner, não há previsão de outro plano para este ano.

Fortner informou ainda que a ECT deve disponibilizar serviços já ofertados pelos concorrentes do setor de encomendas, como o “porta a porta”, em que o carteiro busca a encomenda na casa do cliente e a entrega no local de destino, e o de entrega feita por motoboys, que substituiriam os carteiros motorizados, reduzindo o custo do serviço.

Fonte: G1 (Leia o artigo completo)

Usuários do Correios reclamam do atraso na entrega de encomendas

Usuários do Correios reclamam do atraso na entrega de encomendas

A redução no número de funcionários é um dos motivos.

A redução no número de funcionários e o aumento na demanda são alguns dos motivos que fazem com que as entregas dos correios atrasem. Em Imperatriz, é comum ver pessoas em busca de encomendas atrasadas.

Na cidade o Correios atende em quatro agências, mas somente a unidade localizada na Avenida Dorgival Pinheiro de Sousa recebe os usuários dos que desejem retirar encomendas ou abrir reclamações.

Dona Maria de Lourdes aguarda por encomendas enviadas pelo filho que mora no exterior, ela conta que a espera ultrapassa muito os prazos.

“Sempre demora, tanto pra eu mandar, quando pra receber. E essa espera gera angustia, se fosse mais rápido, iria evitar muita dor de cabeça”, comenta.

Mas o problema segue também com encomendas e correspondências vindas aqui mesmo do estado do Maranhão. O autônomo Faustino Gomes reclama que todos os boletos chegam com atraso.

“Já aconteceu de chegar boletos com três meses de atraso, em alguns casos as correspondências dos três meses chegam juntos e já vencidos”, fala.

Fonte: ma10.com.br ( leia o artigo completo )