Preso suspeito de assalto

Preso suspeito de assaltar Correios na Paraíba

Polícia prende suspeito de assaltar Correios e ferir a tiros duas mulheres durante o crime no Litoral Norte

A Polícia Militar prendeu, no fim da tarde desta quinta-feira (24), no Litoral Norte da Paraíba, o principal suspeito do assalto aos Correios da Baía da Traição, que aconteceu em março de 2017, quando duas mulheres foram baleadas dentro da agência durante o crime.

Gadiel Ferreira Malaquias estava sendo procurado desde o dia do crime e contra ele tinha um mandado de prisão com validade até o ano de 2037.

De acordo com o comandante da 2ª Companhia Independente, major Alberto Filho, o suspeito chegou a procurar as vítimas para intimidá-las após o crime.

“É um suspeito que teria atuação também em outros crimes e neste caso do assalto aos correios, especificamente, ele chegou a procurar uma das vítimas, com tom ameaçador, dizendo que queria pedir desculpas pelo que aconteceu, mas com claro intuito de intimidá-la”, detalhou.

O suspeito foi levado para a Sede da Polícia Federal, em Cabedelo.

IMPORTANTEComo rastrear um objeto?

FONTE: http://informaparaiba.com.br

Agência Bancária e Correios são explodidos em Serra Branca, PB

Ataque é o 53º registrado pelo Sindicato dos Bancários. Polícia não informou se suspeitos conseguiram roubar algum dinheiro.

Uma agência bancária e uma agência dos Correios foram explodidas na madrugada desta segunda-feira (1º), na cidade de Serra Branca, no Cariri paraibano. Segundo a Polícia Militar, os suspeitos chegaram na cidade por volta das 2h30 atirando várias vezes.

Primeiro, os suspeitos invadiram a agência bancária e explodiram o cofre do local. Logo depois, o grupo detonou o cofre da agência dos Correios. Até o início da manhã desta segunda-feira, não havia informações da quantia roubada pelos suspeitos.

Após o ataque, os suspeitos fugiram e até as 6h40 desta segunda-feira, não havia informações sobre a prisão de alguém envolvido na ação. De acordo com o Sindicato dos Bancários da Paraíba, este é o 53º ataque a bancos no estado em 2018.

Fonte: G1 (Leia o artigo completo)

Polícia Militar prende acusado de assaltos a Banco e Correios no Vale do Mamanguape

Polícia Militar prende acusado de assaltos a Banco e Correios no Vale do Mamanguape

José Carlos Messias de 40 anos, foi preso no Alto do Cemitério em Mamanguape.

A Força Tática da 2ª Companhia Independente de Polícia Militar conseguiu prender na noite desta segunda-feira (2), José Carlos Messias de 40 anos, acusado de praticar assaltos aos Correios de Cuité de Mamanguape e ao Banco do Brasil de Rio Tinto.

Segundo a Polícia Militar, uma guarnição estava realizando rondas na comunidade do Alto do Cemitério, em Mamanguape, quando percebeu um veículo Fox, em atitude suspeita com quatro homens no seu interior.

Ao realizar a abordagem policial, a (FT) identificou pelo Sistema Nacional de Informações de Segurança Pública (Sinesp Cidadão), que havia um mandado de prisão em aberto contra José Carlos.

A Polícia informou que Carlos é considerado de alta periculosidade, inclusive sendo suas especialidades assalto a banco.

“O mesmo inclusive já responde a alguns assaltos  na área do Vale de Mamanguape, a exemplo do Banco do Brasil em Rio Tinto, inclusive trocando tiros com as guarnições e também aos correios de Cuité de Mamanguape, entre outras condutas ilícitas”, informou a PM.

A ocorrência foi apresentada na 7ª Delegacia Seccional de Polícia Civil para os devidos procedimentos jurídicos.

Fonte

Metade dos servidores dos Correios da PB mantêm paralisação, afirma dirigente do Sintect

Metade dos servidores dos Correios da PB mantêm paralisação, afirma dirigente do Sintect

Os funcionários da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos na Paraíba, a exemplo de outras unidades da Federação, completam hoje uma semana de greve por tempo indeterminado. Se depender do sindicato da categoria na Paraíba (Sintect- PB), o movimento será ainda mais duradouro devido a não apresentação de qualquer proposta que venha atender as reivindicações.

“A classe patronal não apresentou qualquer proposta para nossa entidade que congrega 31 sindicatos em âmbito nacional. Foi a outra federação, que abrange apenas 5 entidade de classe e ofereceu 3% de reajuste”, afirmou Emannuel de Souza, diretor do Sintect-PB.

Na tarde da última segunda-feira, o Tribunal Superior do Trabalho – TST acatou o pedido da Direção Nacional dos Correios e concedeu liminar determinando que as federações representantes dos trabalhadores garantam o efetivo mínimo de 80% dos empregados em cada unidade dos Correios, sob pena de multa diária de R$ 100 mil no caso de descumprimento. Apesar da determinação judicial, a decisão não está sendo cumprida pelas entidades de classe, por entenderem que fere a lei de greve.

“Uma decisão totalmente equivocada. Já estamos recorrendo e, diante de recursos, não vamos atender o que determinou o TST até mesmo porque os Correios entraram em contradição em relação ao quantitativo de grevistas, quando afirmaram em nota que apenas 7% estavam em greve”, disse

Emannuel, acrescentando que a decisão do Tribunal Superior do Trabalho apenas faz fortalecer ainda mais o movimento.

“Nessa terça-feira tivemos a adesão do sindicato de trabalhadores de Roraima. Já nesta quarta-feira devem aderir ao movimento outros cinco sindicatos”, afirmou o dirigente do Sintect-PB.

Os funcionários dos Correios reivindicam um aumento salarial de 8%, o retorno do plano de saúde, a luta contra privatização da empresa e mais segurança no trabalho. Provavelmente hoje haverá uma rodada de negociação entre o comando nacional de greve e a diretoria da empresa. A federação que congrega 31 sindicatos em âmbito nacional já descartou a proposta de reajuste de 3% apresentada para a outra federação que abrange cinco sindicatos, antes mesmo de ser apresentada a eles.

Na Paraíba, o movimento é mais forte entre os carteiros, motoristas e pessoal da triagem. O Sindicato dos Trabalhadores em Correios e Telégrafos da Paraíba (Sintect-PB) estima que 50% desses servidores estão de braços cruzados. No Estado são 1.480 trabalhadores.

Fonte

Em greve, Correios farão mutirão atualizar entregas

Em greve, Correios farão mutirão para atualizar entregas

Os Correios anunciaram um mutirão neste fim de semana, hoje e amanhã, para colocar em dia a entrega de cartas e encomendas atrasadas em razão da greve dos trabalhadores, que foi deflagrada na última quarta-feira (21). Parte dos trabalhadores da empresa em 21 estados e no Distrito Federal está com as atividades suspensas, de acordo com a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (Fentect).

A Bahia é um dos estados em greve, mas um total de 3.857 empregados continua desempenhando suas atividades normalmente, segundo a Coordenação de Comunicação dos Correios na Bahia. O número corresponde a 74,91% do efetivo total no estado. Em todo o Brasil, 91,3% do efetivo dos Correios está trabalhando normalmente – o que corresponde a 99.130 empregados, ainda de acordo com a empresa.

Em nota, os Correios informaram que o mutirão deste fim de semana “nas localidades em que há paralisação parcial faz parte do Plano de Continuidade de Negócios, que também prevê medidas como deslocamento de empregados entre as unidades e realização de horas extras”.

O comunicado diz ainda que “a rede de atendimento está aberta em todo o país e todos os serviços, inclusive o SEDEX e o PAC, continuam sendo postados e entregues em todos os municípios do país, sem exceções”.

Já os serviços com hora marcada (Sedex 10, Sedex 12, Sedex Hoje, Disque Coleta e Logística Reversa Domiciliária) estão com postagens suspensas para os seguintes destinos: Alagoas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Pará, Paraíba e Piauí, e para as cidades de São José dos Campos (SP), Ribeirão Preto (SP), Campinas (SP) e São José do Rio Preto (SP). O volume dos serviços com hora marcada postado para esses destinos representa apenas 0,5% de todas as encomendas entregues pelos Correios e a suspensão foi realizada com o intuito de redirecionar os recursos para os demais serviços, que são os mais utilizados pelos clientes.

Quanto à negociação, os Correios alegam que continuam as tratativas com representantes da Federação Interestadual dos Sindicatos dos Trabalhadores e Trabalhadoras dos Correios (Findect). Segundo a empresa, a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (Fentect) decidiu iniciar a paralisação nas bases de seus sindicatos filiados antes de esgotado o diálogo sobre as cláusulas previstas no acordo.

“A atitude da Fentect coloca em risco não apenas a qualidade dos serviços prestados aos clientes e à população brasileira, mas compromete a sustentabilidade dos Correios e prejudica todo o esforço realizado durante este ano para reverter a situação financeira da empresa”, diz a nota.

A Fentect afirma que a greve foi o último recurso e que está aberta a negociação, mesmo após 50 dias de conversas sem chegar a um acordo.

Fonte