“Correios faturam R$ 4,5 milhões por dia com nova taxa”

Em vigor desde agosto do ano passado, o pagamento da taxa de R$ 15 por encomenda que desembarca no Brasil pelos Correios têm um custo salgado aos paranaenses que, caso não desembolsem o valor estabelecido, têm seus produtos devolvidos à origem.

Os Correios afirmam que não fizeram ainda levantamento de quanto representou essa nova taxa nos seus caixas. Contudo, apenas no Paraná, chegam todos os dias 300 mil encomendas. Se todos os destinatários pagarem a taxa de R$ 15, isso representaria R$ 4,5 milhões por dia a mais nos cofres da empresa. Isso mesmo: quatro milhões e meio de reais por dia apenas com essa taxa extra e apenas no Paraná.

A cobrança gera polêmica já que é aplicada a qualquer encomenda vinda de outro país, independente do valor do produto, ou seja, bijuterias e outros produtos de baixo valor. Por isso, a cobrança da taxa tem causado surpresa a muita gente.

Adelaide Kunzler comprava todos os meses um artigo ou outro da China. Resolveu colocar o pé no freio. “Agora, com o pagamento dessa taxa, o molho ficou mais caro que o peixe, ou seja, tem produto que é baratinho, mas que com o valor da entrega fica inviável”, explica.

Assim, toda encomenda que vem do exterior para na central em Curitiba e o destinatário recebe um SMS informando sobre a cobrança. Na mensagem é informado o código de rastreamento e indica que a pessoa deva entrar no site para efetuar o pagamento. Já no site é fácil encontrar a aba e, após fazer o cadastro, a pessoa escolher como pagar a taxa: cartão de crédito ou boleto bancário. Só depois de paga essa taxa é que a encomenda é despachada para a cidade do destinatário.

O que dizem os Correios

Os Correios justificam que a cobrança está relacionada ao tratamento a ser dado a essas encomendas, como averiguação do conteúdo, identificar possíveis mercadorias ilícitas a partir de um aparelho de raio-x, assim como a formalização da importação e operações correlacionadas. Até então, apenas as encomendas que ultrapassavam R$ 50 eram submetidas ao pagamento da taxa fixada em R$ 12.

Segundo a assessoria de imprensa dos Correios no Paraná, ainda não foi possível medir o percentual de compradores internacionais que fizeram o pagamento nem o percentual dos produtos já devolvidos pela falta de pagamento.

Adelaide Kunzler conta que já teve encomenda devolvida porque não sabia como pagar a taxa. “Diante do aumento das compras internacionais, acho que foi pouco divulgada a forma de pagamento dessas encomendas. Eu fiquei esperando receber nos Correios onde moro e pagar lá, mas isso não aconteceu e o meu produto voltou para a China. Tenho mais umas quatro ou cinco coisas que comprei há alguns meses, mas são tão baratinhas que nem vou atrás para pagar as taxas”.

Os Correios esclarecem que, caso a encomenda não seja tributada, a informação sobre a necessidade de pagamento do Despacho Postal será disponibilizada no SRO (Sistema de Rastreamento de Objetos) no site www.correios.com.br/rastreamento.

Os Correios esclarecem ainda que as encomendas que aguardam o pagamento do despacho postal não ficam “paradas” e que o prazo de armazenamento é de 30 dias após a liberação da Receita Federal e então são devolvidas ao país de origem se não houver o pagamento do serviço.

Fonte: O Paraná (Leia mais)