Correios de Portugal e do Brasil querem facilitar e-commerce

O novo acordo entre os CTT e os ECT deverá permitir a redução do tempo média de entrega de encomendas registadas entre os dois países..

Os correios de Portugal (CTT) e do Brasil (ECT) firmaram um novo acordo que poderá contribuir para incrementar o comércio electrónicos dos dois países. A parceria visa aumentar a competitividade dos produtos de correio expresso que suportam parte das trocas comerciais entre os países.

Segundo os prestadores de serviços, até agora, as encomendas registadas em circulação entre o Brasil e Portugal precisavam de, em média, 40 dias úteis para ser entregues após a desalfandegamento dos objectos. Com o novo acordo, a previsão é que esse prazo caia para uma média de 12 dias úteis, avançam os correios do Brasil.

Uma das mudanças previstas com o acordo assinado a 27 de Outubro, é a melhoria na qualidade de informação nos fluxos postais, permitindo um rastreamento mais completo que facilita a previsão de entrega das encomendas postadas principalmente para quem efectua compras e vendas pela Internet, explicam os ECT.

Na prática, o acordo prevê a migração do tratamento das encomendas de correio electrónico que, na maior parte das vezes chega ao Brasil através de correio registado e simples para uma plataforma mais qualificada, em conformidade com as condições de recepção brasileiras “Novo Modelo de Importação”, que abrange o envio de informações electrónicas, explicam os correios do Brasil, citados pela IDGNow.

“O comércio electrónico é (…) um dos eixos estratégicos de desenvolvimento dos CTT e acreditamos que estes acordos agora assinados com o Brasil são uma das chaves para o desenvolvimento das trocas neste corredor atlântico, aproveitando a crescente digitalização da economia e a ligação tradicionalmente relevante entre as comunidades de nacionais de ambos os países”, disse, recentemente, Francisco de Lacerda, presidente-executivo dos CTT.

As duas empresas (CTT e ECT) têm vindo a firmar acordos para facilitar este tipo de transacção. Recentemente anunciaram a redução conjunta das “condições de remuneração que praticam entre si, viabilizando desse modo o lançamento de ofertas de correio expresso premium mais competitivas, para clientes de comércio electrónico que vendem entre os dois países”, explicam os CTT em comunicado.

A um nível logístico, “os acordos introduzem níveis de informação de melhor qualidade nos fluxos de tráfego entre os dois países, o que permite reforçar a prestação de informação de rastreamento e previsão de entrega quer a clientes, quer a destinatários”.

Fonte: Computerworld (Leia o artigo completo)

 

NO BRASIL: Produtos Xiaomi a pronta entrega com descontão

A fabricante chinesa de dispositivos eletrônicos Xiaomi não tem representação oficial no Brasil e, portanto, quem deseja usar seus smartphones, smartwatches e pulseiras fitness — reconhecidos mundialmente por aliar qualidade a preço acessível — acaba recorrendo à importação. Mas a gente traz aqui uma notícia ótima: a Amazon Brasil vende produtos da Xiaomi e está com uma promoção imperdível até o próximo domingo (7), dando 20% de desconto nesse período em diversos produtos da marca.

E por que comprar Xiaomi com a Amazon? Bom, você sempre tem a opção de importar por conta própria, mas aí acaba arcando com impostos de importação e precisa de uma boa dose de paciência para aguardar os processos alfandegários e dos Correios até que sua compra enfim seja entregue à sua casa. Já com a Amazon, como os produtos já estão no Brasil, a coisa flui muito mais rapidamente: é só comprar, com o valor já em reais (ou seja, sem surpresas na hora de pagar a fatura do cartão), e com a garantia de receber o produto dentro do prazo informado.

Você pode conferir aqui a lista completa de produtos Xiaomi à venda pela Amazon Brasil, mas a gente deu uma olhada geral e destacamos aqui alguns itens que têm a cara do leitor do Canaltech. Vamos lá:

Telefonia móvel

Mi A2

Passeando entre o mundo dos celulares mais básicos até os smartphones topo de linha, o Mi A2 tem tudo o que se espera de um aparelho intermediário. Para começar, ele vem com Android “puro” em sua versão Oreo 8.0, que roda tranquilamente graças à combinação de processador Snapdragon 660 de oito núcleos e 4 GB de RAM.

O aparelho traz também bateria de 3.010 mAh, 64 GB de armazenamento, câmera traseira dupla de 12 + 20 megapixels, câmera frontal de 20 MP e tela IPS LCD com 5,99 polegadas. Ah, e o aparelho é Dual SIM, acomodando chips de diferentes operadoras e já vem desbloqueado.

Na promoção, seu preço fica a partir de R$ 1.294,00.

Mi A2 Lite

 

“Irmão menor” do modelo acima, o Mi A2 Lite tem tela de 5,84 polegadas, 3 GB de RAM e 32 GB de armazenamento, contando com a capacidade do processador Snapdragon 625 de oito núcleos. Ele também conta com as vantagens do Android “puro” em sua versão Oreo, e também é Dual SIM.

Na traseira, o Mi A2 Lite traz câmera principal dupla combinando 12 e 5 megapixels, enquanto a frontal, para selfies, traz 5 MP. Sai por a partir de R$ 869 e há poucas unidades em estoque!

Redmi Note 5

Mais parrudo do que as opções acima, o Redmi Note 5 é ideal para quem precisa de um smartphone mais poderoso, mas sem gastar muita grana com isso. Ele tem tela de 5,99 polegadas, processador Snapdragon 625 de oito núcleos, 4 GB de RAM e 64 GB de espaço interno, e também é Dual SIM.

Sua câmera traseira tem 12 megapixels, enquanto a frontal traz 5 MP com HDR e detecção de faces, tudo isso em um design elegante com acabamento na cor preta. Está custando só a partir de R$ 1.115.

Redmi 6a

Na cor dourada, o Redmi 6a combina processador Mediatek Helio A22 de quatro núcleos que alia bom desempenho a menor consumo de energia e, combinado a 2 GB de RAM e 16 GB de espaço, é ideal para quem precisa de um aparelho mais humilde para as atividades mais básicas da rotina diária.

Sua tela tem 5,45 polegadas, a bateria traz 3.000 mAh, e o aparelho vem com Android Oreo de fábrica. O sistema de câmeras é o seguinte: 13 megapixels na traseira, com outros 5 MP na frontal, contando com detecção de faces e sorriso, HDR e modo panorama. Na promoção, custa a partir de R$ 595!

Outros smartphones

Mas se o que você procura ainda não é nenhuma das opções acima, confira agora mesmo a lista com todos os smartphones Xiaomi disponíveis no site da Amazon Brasil. Tem modelos para todos os gostos e bolsos!

Fonte: Canaltech (Leia o artigo completo)

Descubra 10 soluções dos Correios para e-commerce

Comprar pela internet é algo que se tornou comum na vida de muitos brasileiros. Só para se ter uma ideia, pesquisas apontam crescimento de até 15% em 2018. O faturamento deve chegar aos R$ 69 bilhões (em 2017 foram R$ 59 bi). O ano pode fechar com cerca de 220 milhões de pedidos pela internet. Os dados são da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm).

E para atender tantos pedidos feitos em milhares de empresas, os Correios, principal fornecedor de soluções para quem compra e para quem vende pela internet, está investindo pesado. Até 2020 serão investidos 108 milhões de dólares na implantação de novos sistemas automatizados de triagem.

Conheça 10 serviços que os Correios disponibilizam para quem trabalha com e-commerce:

Pacotes de serviços de encomendas para o e-commerce

São disponibilizados pacotes específicos para as empresas que atuam no e-commerce, com preços mais atrativos para o envio rápido pelo SEDEX, para quem tem pressa, e PAC, para quem deseja economia.

  • Gerenciamento de postagem

Os Correios oferecem facilidade e rapidez na preparação das postagens e gestão das informações sobre as encomendas postadas. Além de proporcionar consulta online do CEP, endereçamento padronizado, rastreamento, relatórios gerenciais entre outras funcionalidades.

Os Correios podem se integrar com as lojas virtuais para que o comprador possa informar apenas o CEP ao cadastrar um endereço de entrega quando faz uma compra e também calcular o frete automaticamente.

  • Clique e Retire

A funcionalidade, conhecida no mercado de comércio eletrônico como “Click & Collect”, consiste na retirada de encomenda nas mais de 6,7 mil agências dos Correios, em todo o Brasil, por compradores que manifestarem essa preferência na compra online, sem cobrança adicional. O cliente realiza compra na loja virtual que tenha essa funcionalidade cadastrada e a encomenda é encaminhada para a agência escolhida pelo comprador, que recebe notificação por SMS sobre a disponibilidade do seu pedido. O número de telefone celular pode ser cadastrado no site e atualizado no portal dos Correios.

Outra opção dos Correios é o aperfeiçoamento de seus mecanismos de rastreamento de encomendas. Os carteiros contam com smartphones para que a confirmação das entregas se dê em tempo real.

  • Pagamento na entrega

Os Correios oferecem a opção de entregar o produto condicionada ao pagamento pelo destinatário no momento da retirada da encomenda nas agências dos Correios.

  • Logística Reversa

É o serviço de remessa de documentos e mercadorias em devolução, sem ônus ao remetente, para serem entregues exclusivamente no endereço indicado pelo cliente, podendo ser uma localidade diferente do endereço de sua sede.

Permite a coleta do objeto em domicílio ou a postagem em agência por meio de autorização de postagem (e-ticket) e está disponível em 4 modalidades:

  • Logística Reversa Domiciliar

A coleta é realizada no endereço indicado pelo cliente, admitindo-se duas tentativas de coleta em dias úteis consecutivos e permite o agendamento da coleta para realização em até trinta dias após a efetivação do pedido, sempre a critério do cliente.

  • Logística Reversa Simultânea Domiciliar

A coleta é realizada no endereço indicado pelo cliente, mediante a entrega simultânea da mercadoria ou documentos a serem substituídos, para retorno ao endereço também por ele indicado.

  • Logística Reversa em Agência (e-ticket)

Essa modalidade permite a postagem em agências próprias (AC) e franqueadas (AGF) em todo país, por meio da apresentação de um Código de Autorização de Postagem, por parte do remetente do objeto. No entanto, quando houver autorização para fornecimento de embalagem a postagem ficará restrita às unidades próprias. O cliente emite essa autorização, determina os dados de endereçamento tanto do remetente quanto do destinatário e autoriza o remetente a enviar-lhe o objeto ou documento, informando-lhe o Código de Autorização de Postagem

  • Logística Reversa Simultânea em Agência

Processo logístico reverso, realizado em uma Agência de Correios Própria, que consiste na postagem do produto de retorno simultaneamente a entrega do produto substituto em uma Agência Própria dos Correios

  • Embalagens

Os Correios disponibilizam “Guia Técnico de Embalagens Recomendadas pelos Correios” (clique aqui para acessá-lo), no site da empresa, onde estão todas as informações sobre o correto acondicionamento dos produtos e o padrão adequado das embalagens.

Os Correios oferecem também embalagens desenvolvidas para proporcionar uma entrega segura, à venda nas agências ou por meio da loja virtual dos Correios.

  • Importa Fácil

Ficou mais fácil receber suas encomendas internacionais!

Os Correios, em parceria com a Receita Federal, criaram uma plataforma eletrônica que irá garantir celeridade e comodidade no recebimento de remessas internacionais, além de proporcionar maior segurança tanto para quem compra quanto para quem vende. Saiba mais: https://bit.ly/2zjW4AL.

  • Exporta Fácil

O serviço foi criado para atender, principalmente, pequenos e médios empresários, mas está disponível para empresas de todos os portes. Além de oferecer rapidez no processo de desembaraço aduaneiro, outra vantagem do Exporta Fácil é que ele permite exportações de qualquer cidade do Brasil, mesmo daquelas onde não há presença física da Aduana.

As empresas também podem se aproveitar da tendência de logística colaborativa, que consiste, resumidamente, na utilização dos mesmos recursos por empresas diferentes, com o objetivo de reduzir custos. Nesse sentido, os Correios oferecem o Correios Log+, solução completa de logística para o e-commerce, desde a armazenagem e atendimento dos pedidos até o pós-venda.

Fonte: Diário da região (Leia o artigo completo)

Com taxa em compras internacionais, Correios afastam AliExpress do Brasil

Taxa de 15 reais em despacho de encomenda internacional desestimula ainda mais e-commerces chineses por aqui. 22 milhões de brasileiros compram no exterior.

Os famosos “negócios da China” acabaram de se tornar menos atraentes. Os Correios anunciaram nesta semana uma taxação que pode comprometer as compras de 22 milhões de brasileiros em e-commerces internacionais. Todas as encomendas que chegarem ao Brasil pelo serviço postal estão sujeitas à cobrança de uma taxa extra de despacho, no valor fixo de 15 reais.

A medida já está valendo, segundo os Correios. A estatal afirma em nota que o serviço de despacho postal era cobrado apenas para objetos tributados pela Receita Federal. Mas, com o aumento das importações, a estatal “precisou injetar mais recursos na operação”. Esse é mais um capítulo na saga dos Correios, que tentam se recuperar de uma crise econômica que há anos assombra o serviço postal.

Apesar de a taxa fixa incidir sobre todas as encomendas internacionais, as compras que devem ser mais afetadas são as de valores menores. É o caso da maioria das aquisições feitas em lojas online chinesas, como AliExpress e DealeXtreme (DX.com), ou em e-commerces internacionais que revendem produtos chineses, da gigante Amazon ao unicórnio Wish.

De acordo com In Hsieh, CEO da Chinnovation, o ticket médio das compras brasileiras nos e-commerces chineses é de 50 reais, possibilitados também por políticas de descontos agressivos e de fretes grátis. Enquanto isso, o ticket médio do comércio eletrônico brasileiro em geral fica em 418 reais, segundo o relatório Webshoppers, da Ebit. “Nesse sentido, 15 reais é um valor muito significativo. A diferença de preço ainda pode compensar em alguns casos, mas certamente as compras irão diminuir”, diz Hsieh.

Ainda de acordo com o Webshoppers, cerca de 22 milhões de brasileiros realizaram compras no exterior pela internet no ano passado, 40% do total de clientes do comércio eletrônico. O total gasto em e-commerces internacionais passou dos 36 bilhões de dólares, mais do que os 47,7 bilhões de reais de faturamento das empresas nacionais de comércio eletrônico.

Mais da metade desses 22 milhões de brasileiros foram clientes do AliExpress, o maior expoente do e-commerce chinês em terras brasileiras. Criado em 2010, o portal de venda de produtos abaixo do custo conecta diretamente os fabricantes chineses com compradores particulares, especialmente de fora da China. O negócio já passou dos 100 milhões de clientes no estrangeiro.

Fonte: Exame (Leia o artigo completo)

Wish ameaça cortar investimentos no Brasil após taxa dos Correios

A decisão dos Correios de cobrar uma taxa de R$ 15 de todas as encomendas internacionais pode fazer com que a Wish corte seus investimentos no Brasil. Pelo menos essa é o que afirma Nicola Azevedo, executivo da empresa para a região da América do Sul, que aguarda para ver o impacto da medida no volume de vendas.

Hoje, o Brasil é um dos dez maiores mercados da Wish. Em entrevista à revista Veja, Azevedo disse que a empresa está disposta a conversar com os Correios, mas, se acabar muito afetada pela nova cobrança, levará o montante aplicado por aqui a outros países. A declaração é simples e breve, mas demonstra um movimento que pode acontecer com outras companhias internacionais, principalmente chinesas, que também têm forte operação por aqui.

O maior problema é que a chamada taxa de despacho postal praticamente inviabiliza a aquisição de produtos de baixo valor, importados por preços normalmente bem abaixo dos aplicados por aqui. Na maioria das vezes as lojas praticam um regime de frete grátis, mas, com uma taxa de R$ 15 aplicada a todas as compras, os itens acabarão deixando de compensar para o consumidor, que já tinha que aguardar meses para recebê-los.

A expectativa dos Correios com a nova medida é de arrecadar R$ 90 milhões por mês com o pagamento dos tributos. Entretanto, de acordo com a reportagem, a estatal também deve enfrentar um reflexo da nova medida, com 70% das encomendas internacionais que já estão no Brasil ou a caminho daqui sendo abandonadas. Com isso, a empresa acaba tendo gastos adicionais, uma vez que é a responsável pela manutenção de depósitos e, também, por enviar de volta os produtos.

Na ocasião do anúncio, o presidente dos Correios, Carlos Fortner, defendeu a aplicação da taxa, afirmando que ela é necessária para compensar os custos de triagem, análise, alertas aos usuários e demais serviços de logística. O novo tributo também estaria relacionado a um aumento de 80% no volume de produtos importados entregues pela estatal entre 2016 e 2017 — o crescimento, ao final do primeiro semestre, já é de 32% em relação ao ano passado. São de 100 mil a 300 mil encomendas recebidas todos os dias.

A aplicação da taxa também colocou os Correios na mira do Procon do Rio de Janeiro, que iniciou uma investigação sobre a cobrança e exigiu explicações sobre sua aplicação repentina. O maior ponto, aqui, é o anúncio e cobrança em caráter imediato, a partir do dia 28 de agosto, sem aviso aos lojistas e consumidores, mas aplicada mesmo a encomendas enviadas ou já tramitando no Brasil antes desta data.

Até o anúncio, a chamada taxa de despacho postal era cobrada somente de encomendas tributadas pela Receita Federal, no momento da retirada ou em sistema online, para permitir pagamento. Agora, porém, o mesmo vale para absolutamente todos os pacotes vindos do exterior.

Fonte: Canaltech (Leia o artigo completo)