Correios abre seletivo para estagiários no Maranhão

Correios abre seletivo para estagiários no Maranhão

Os estagiários terão bolsa mais benefícios que chegam a R$ 788,90

SÃO LUÍS – Os Correios abriram seletivo para estágio de nível superior no âmbito da Superintendência Estadual de Operações no Maranhão. São sete vagas para preenchimento imediato e mais cadastro de reserva para as áreas de Administração, Arquitetura, Direito e Jornalismo.

 

As inscrições começaram nessa quarta-feira (11) e se estendem até o dia 31. Os interessados devem acessar o site dos Correios, aba “Sobre os Correios”, seguindo o caminho: “Recursos Humanos”, “Estágios”, “Inscrições Abertas” e preencher a ficha de inscrição disponível no endereço. No próprio destino, é possível encontrar o edital e todas as demais informações sobre o processo seletivo.

Os estagiários dos Correios têm direito a bolsa estágio mais benefícios que chegam a R$ 788,90 e demais garantias previstas na Lei nº 11.788/2008.

Fonte

Greve dos Correios ainda não afeta a Serra Catarinense

Greve dos Correios ainda não afeta a Serra Catarinense

Na Serra, os Correios contam com 84 funcionários para a distribuição de encomendas e correspondências. Desses, 3,5% estão em greve

A greve dos funcionários dos Correios completa 9 dias, hoje, e atinge todos os 26 Estados do Brasil e o Distrito Federal. Em Santa Catarina só 7,55% dos funcionários aderiram ao movimento nacional que pede reajuste salarial de 8%. Na Serra Catarinense, apenas 3,5% dos funcionários estão em greve. Os Correios propõem reajuste de 3% nos salários e benefícios a partir de janeiro de 2018.

Como mostram os números, a Serra ainda não foi afetada pela paralisação nacional. As agências de São Joaquim e Otacílio Costa mantêm os serviços normais. Ontem, apenas três carteiros estavam parados em Lages. A partir de hoje, mais seis carteiros devem se juntar aos colegas do movimento.

De acordo com o dirigente do Sindicato dos Trabalhadores na Empresa de Correios e Telégrafos e Similares de Santa Catarina (Sintect-SC), Marcelo Cardoso, a adesão ainda é baixa para a região. Entre as reivindicações da categoria, estão a manutenção do vale-alimentação, auxílio-creche, e do plano de saúde, e também um novo concurso público.

“Queremos manter o que temos e pedimos reajuste de 8%”, explica o Cardoso.

Adesão à greve:  Nesta quarta-feira (27), os sindicatos que representam os trabalhadores dos Correios do Rio de Janeiro, da região metropolitana de São Paulo, do Tocantins e do Maranhão decidiram entrar em greve. Eles são ligados à Federação Interestadual dos Sindicatos dos Trabalhadores e Trabalhadoras dos Correios (Findect ). Os sindicatos das outras regiões, ligados à Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (Fentect), já estavam em greve, que atinge grande parte do Brasil, desde a semana passada. A greve foi aprovada por quase todos os sindicatos de trabalhadores dos Correios do Brasil, segundo as duas federações. Apenas a região de Bauru, cujo sindicato é ligado à Findect, não aceitou a paralisação.

“A greve, em geral, está ficando cada vez mais forte” diz Cardoso.

TST:   Os Correios informaram na tarde de quarta,  que ingressarão com ação de dissídio coletivo, ação proposta à Justiça do Trabalho para solucionar questões não resolvidas em negociação direta. De acordo com a estatal, a medida foi tomada após os trabalhadores dos sindicatos ligados à Findect anunciarem adesão à paralisação na noite de terça-feira.

Nesta quarta, 90.607 empregados em todo o país estão trabalhando, o que corresponde a 83,45% do total. Mesmo assim, a empresa manteve em prática as ações do Plano de Continuidade de Negócios, que prevê o deslocamento de empregados entre as unidades e a realização de horas extras. As medidas, segundo os Correios, visam a reduzir os impactos da greve para a população.

Serviços: Em todo o país, a rede de atendimento está aberta e todos os serviços, inclusive o Sedex e o PAC, continuam disponíveis. Apenas os serviços com hora marcada (Sedex 10, Sedex 12, Sedex Hoje, Disque Coleta e Logística Reversa Domiciliária) estão suspensos.

Fonte

TST determina que grevistas dos Correios devem manter efetivo de 80%

TST determina que grevistas dos Correios devem manter efetivo de 80%

O Tribunal Superior do Trabalho (TST) determinou que sindicatos filiados à Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (Fentect) devem garantir ao menos 80% dos trabalhadores da empresa estatal trabalhando normalmente durante a greve decretada na última sexta-feira (22).

A decisão liminar (provisória) é do vice-presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), ministro Emmanoel Pereira, que atendeu a pedido dos Correios. Caso a categoria descumpra a determinação, as entidades sindicais que declararam greve estarão sujeitas a multas diárias de R$ 100 mil.

“A ECT é estatal da União que exerce prestação de serviço público enquadrado no conceito de serviço indispensável, o que exige a observância da necessidade de manutenção de contingente mínimo”, afirmou o ministro, em sua decisão.

A greve decretada na última sexta-feira não envolve toda a categoria e, sim, os sindicatos filiados à Fentect. Os funcionários dos Correios, representados por entidades sindicais filiadas à Federação Interestadual dos Sindicatos dos trabalhadores e Trabalhadoras dos Correios (Findect), farão assembleias amanhã (26), para decidir se aceitam as propostas da empresa de acordo coletivo para o biênio 2017/18. Os Correios propõem o reajuste de salário de 3% nos salários e benefícios a partir de janeiro de 2018 e manutenção das demais cláusulas do Acordo Coletivo de Trabalho 2016/2017.

A Findect é formada pelos servidores dos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Tocantins e Maranhão. Segundo a entidade, os quatro estados respondem por 75% do fluxo postal do país e detém cerca de 40% do quadro de funcionários da empresa. Já a Fentect responde pelos demais estados do Brasil, reunindo 60% do quadro de funcionários da estatal e movimentando cerca de 25% do fluxo postal do país.

Fonte

Funcionários dos Correios ameaçam paralisar as atividades em São Luís

Funcionários dos Correios ameaçam paralisar as atividades em São Luís

As principais reivindicações da categoria são a falta de mão de obra e das condições inadequadas de trabalho.

Funcionários da Central de Tratamento de Cartas e Encomendas dos Correios de São Luís poderão entrar em greve por tempo indeterminado a partir do dia 12 deste mês. É o que afirma o diretor de patrimônio do Sindicato dos Trabalhadores em Correios e Telégrafos do Maranhão, Wilson Balde.

Segundo Balde, as principais reivindicações da categoria são a falta de mão de obra e das condições inadequadas de trabalho. Além disso, a categoria questiona sobre a demissão em massa que vem acontecendo na empresa. Apenas este ano, segundo o diretor, 200 funcionários já perderam o emprego.

Com a suspensão do serviço, as correspondências poderão sofrer atrasos nas unidades.

Fonte

Quadrilha suspeita de explodir Correios de Porto é presa e parte do dinheiro recuperado

Quadrilha suspeita de explodir Correios de Porto é presa e parte do dinheiro recuperado

Na semana passada, o bando aproveitou que apenas um policial militar fazia a segurança da cidade para cometer o crime.

Quatro suspeitos de explodirem a agência dos Correios de Porto, a 183 km de Teresina, foram presos na madrugada desta terça-feira (15) na região, com parte do dinheiro roubado. Na semana passada, o bando aproveitou que apenas um policial militar fazia a segurança da cidade para cometer o crime.

Segundo o coronel Márcio Oliveira, comandante de policiamento do Litoral, dois suspeitos presos são das cidades de Matias Olímpio, um de Luzilândia e uma mulher natural de Coelho Neto, no Maranhão. Todas as cidades são vizinhas a Porto.

“Desde o roubo, a polícia vinha levantando informações e solicitou reforço da Força Tática de Esperantina, que resultou na prisão da quadrilha. Duas armas, munições, quatro tubos de pólvoras, celulares e duas motos sem placas foram apreendidos com os suspeitos”,

contou o coronel Márcio Oliveira, comandante de policiamento do Litoral.

O comandante acrescentou ainda que está em contato com a direção dos Correios para saber a quantia roubada da agência de Porto, já que com os presos foram encontrados apenas R$ 570. Diante da informação, a ele espera saber se há mais suspeitos estão foragidos.

Quadrilha suspeita de explodir Correios de Porto é presa e parte do dinheiro recuperado

“Todos os presos serão encaminhados para a Delegacia de Porto. Ainda não temos informações se eles têm passagem pela polícia e as motos apreendidas são roubadas também”,

acrescentou Márcio Oliveira.

Fonte