Greve dos Correios ainda não afeta a Serra Catarinense

Greve dos Correios ainda não afeta a Serra Catarinense

Na Serra, os Correios contam com 84 funcionários para a distribuição de encomendas e correspondências. Desses, 3,5% estão em greve

A greve dos funcionários dos Correios completa 9 dias, hoje, e atinge todos os 26 Estados do Brasil e o Distrito Federal. Em Santa Catarina só 7,55% dos funcionários aderiram ao movimento nacional que pede reajuste salarial de 8%. Na Serra Catarinense, apenas 3,5% dos funcionários estão em greve. Os Correios propõem reajuste de 3% nos salários e benefícios a partir de janeiro de 2018.

Como mostram os números, a Serra ainda não foi afetada pela paralisação nacional. As agências de São Joaquim e Otacílio Costa mantêm os serviços normais. Ontem, apenas três carteiros estavam parados em Lages. A partir de hoje, mais seis carteiros devem se juntar aos colegas do movimento.

De acordo com o dirigente do Sindicato dos Trabalhadores na Empresa de Correios e Telégrafos e Similares de Santa Catarina (Sintect-SC), Marcelo Cardoso, a adesão ainda é baixa para a região. Entre as reivindicações da categoria, estão a manutenção do vale-alimentação, auxílio-creche, e do plano de saúde, e também um novo concurso público.

“Queremos manter o que temos e pedimos reajuste de 8%”, explica o Cardoso.

Adesão à greve:  Nesta quarta-feira (27), os sindicatos que representam os trabalhadores dos Correios do Rio de Janeiro, da região metropolitana de São Paulo, do Tocantins e do Maranhão decidiram entrar em greve. Eles são ligados à Federação Interestadual dos Sindicatos dos Trabalhadores e Trabalhadoras dos Correios (Findect ). Os sindicatos das outras regiões, ligados à Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (Fentect), já estavam em greve, que atinge grande parte do Brasil, desde a semana passada. A greve foi aprovada por quase todos os sindicatos de trabalhadores dos Correios do Brasil, segundo as duas federações. Apenas a região de Bauru, cujo sindicato é ligado à Findect, não aceitou a paralisação.

“A greve, em geral, está ficando cada vez mais forte” diz Cardoso.

TST:   Os Correios informaram na tarde de quarta,  que ingressarão com ação de dissídio coletivo, ação proposta à Justiça do Trabalho para solucionar questões não resolvidas em negociação direta. De acordo com a estatal, a medida foi tomada após os trabalhadores dos sindicatos ligados à Findect anunciarem adesão à paralisação na noite de terça-feira.

Nesta quarta, 90.607 empregados em todo o país estão trabalhando, o que corresponde a 83,45% do total. Mesmo assim, a empresa manteve em prática as ações do Plano de Continuidade de Negócios, que prevê o deslocamento de empregados entre as unidades e a realização de horas extras. As medidas, segundo os Correios, visam a reduzir os impactos da greve para a população.

Serviços: Em todo o país, a rede de atendimento está aberta e todos os serviços, inclusive o Sedex e o PAC, continuam disponíveis. Apenas os serviços com hora marcada (Sedex 10, Sedex 12, Sedex Hoje, Disque Coleta e Logística Reversa Domiciliária) estão suspensos.

Fonte

TST determina que grevistas dos Correios devem manter efetivo de 80%

TST determina que grevistas dos Correios devem manter efetivo de 80%

O Tribunal Superior do Trabalho (TST) determinou que sindicatos filiados à Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (Fentect) devem garantir ao menos 80% dos trabalhadores da empresa estatal trabalhando normalmente durante a greve decretada na última sexta-feira (22).

A decisão liminar (provisória) é do vice-presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), ministro Emmanoel Pereira, que atendeu a pedido dos Correios. Caso a categoria descumpra a determinação, as entidades sindicais que declararam greve estarão sujeitas a multas diárias de R$ 100 mil.

“A ECT é estatal da União que exerce prestação de serviço público enquadrado no conceito de serviço indispensável, o que exige a observância da necessidade de manutenção de contingente mínimo”, afirmou o ministro, em sua decisão.

A greve decretada na última sexta-feira não envolve toda a categoria e, sim, os sindicatos filiados à Fentect. Os funcionários dos Correios, representados por entidades sindicais filiadas à Federação Interestadual dos Sindicatos dos trabalhadores e Trabalhadoras dos Correios (Findect), farão assembleias amanhã (26), para decidir se aceitam as propostas da empresa de acordo coletivo para o biênio 2017/18. Os Correios propõem o reajuste de salário de 3% nos salários e benefícios a partir de janeiro de 2018 e manutenção das demais cláusulas do Acordo Coletivo de Trabalho 2016/2017.

A Findect é formada pelos servidores dos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Tocantins e Maranhão. Segundo a entidade, os quatro estados respondem por 75% do fluxo postal do país e detém cerca de 40% do quadro de funcionários da empresa. Já a Fentect responde pelos demais estados do Brasil, reunindo 60% do quadro de funcionários da estatal e movimentando cerca de 25% do fluxo postal do país.

Fonte

Funcionários dos Correios entram em greve em 18 Estados e DF

Funcionários dos Correios entram em greve em 18 Estados e DF

Funcionários dos Correios paralisam suas atividades em 18 estados e fazem protesto (Antônio Cruz/ ABr)

Os trabalhadores da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) em 18 estados e no Distrito Federal estão em greve a partir de hoje (19), por tempo indeterminado. Eles reivindicam reajustes salariais e reposição de perdas. Em Brasília, os trabalhadores prometem ficar mobilizados desde o começo da manhã, em manifestação em frente ao Ministério das Comunicações, onde aguardam reunião com representantes do governo. Às 10h30 haverá uma audiência no Tribunal Superior do Trabalho (TST).

O salário inicial de carteiros, atendentes comerciais e operadores de triagem e transbordo é R$ 942. Dos 35 sindicatos da categoria, dez ainda farão assembleias de hoje até o dia 25. Uma das maiores empresas empregadoras no regime de, Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), os Correios têm mais de 115 mil funcionários.

Aprovaram a paralisação os empregados dos Correios em Alagoas, no Amazonas, Ceará, Distrito Federal, em Goiás, Mato Grosso, na Paraíba, no Paraná, em Pernambuco, no Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, em Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e no Tocantins. Em Minas Gerais e no Pará, a categoria já havia iniciado a greve na semana passada.

O comando de negociação da Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios, Telégrafos e Similares (Fentect) reivindica 43,7% de reajuste, R$ 200 de aumento linear e piso salarial de R$ 2,5 mil. Mas quatro sindicatos dissidentes (São Paulo, Rio de Janeiro, Tocantins e Bauru), que se desfiliaram da federação, pedem 5,2% de reposição, 5% de aumento real e reajuste linear de R$ 100.

A empresa sustenta que o índice de reajuste de 5,2% oferecido aos trabalhadores garante o poder de compra e repõe a inflação do período, diz a ECT em seu blog institucional. Os Correios informam ter um plano de contingência para manter a prestação de serviços à população.

Frente ao autoritarismo patronal e contra a privatização, trabalhadores e trabalhadoras dos Correios aprovam estado de greve

Segundo a ECT, há um plano com medidas como a realocação de empregados das áreas administrativas, a contratação de trabalhadores temporários e a realização de horas extras e mutirões para triagem e entrega de cartas e encomendas nos fins de semana. Em nota, a assessoria da empresa diz que apenas os itens econômicos da pauta de reivindicações dos sindicatos, se atendidos, gerarão acréscimo até R$ 25 bilhões na folha, cuja previsão de receita é R$ 15 bilhões para 2012.

Fonte

Agência dos Correios é arrombada e tem cofre aberto em Tocantinópolis

Agência dos Correios é arrombada e tem cofre aberto em Tocantinópolis

Furto foi descoberto na manhã desta segunda-feira (28), quando um dos funcionários da unidade chegou para trabalhar. Criminosos levaram as câmeras de segurança.

Uma agência dos Correios foi arrombada em Tocantinópolis, no norte do estado. O cofre da unidade foi aberto. Ainda não é possível saber quantos homens participaram da ação. A suspeita é que o crime ocorreu no fim de semana.

Segundo o Sindicato dos Trabalhadores dos Correios, o funcionário da unidade só percebeu o furto na manhã desta segunda-feira (28), quando ele chegou para trabalhar, por isso não é possível saber se o furto foi praticado neste sábado ou domingo.

Conforme o sindicato, os homens entraram pelas portas dos fundos e fizeram um buraco no cofre, usando um maçarico. Também desamaram o sistema de alarme e fugiram levando as câmeras. Ninguém percebeu a ação.

Não foi informada a quantia levada. A Polícia Federal investiga o caso.

Criminosos roubam agência dos Correios que tinha apenas R$ 27 em caixa

Criminosos roubam agência dos Correios que tinha apenas R$ 27 em caixa

Três homens invadiram e roubaram uma agência dos Correios em Riachinho, no extremo norte do Tocantins. O crime aconteceu durante a madrugada deste domingo (13) e eles conseguiram fugir com o dinheiro que havia no local. O que o trio não esperava era que o caixa da agência estaria com apenas R$ 27. O restante do dinheiro já tinha sido recolhido no momento do arrombamento.

A Polícia Militar informou que ninguém ficou ferido no caso, a equipe que atende a cidade, de cerca de 4,5 mil habitantes, chegou a ver os criminosos durante a fuga, mas não houve confronto. As buscas pela quadrilha seguem na região.

Na época, o valor levado pela quadrilha não foi informado. Uma casa que fica ao lado da agência foi usada como esconderijo pela quadrilha. A Investigação dos dois casos está sob responsabilidade da Polícia Federal. Não há informações se existe a suspeita de que os dois assaltos estejam relacionados.

Fonte