Startup de logística expande pontos de retirada e se apresenta como alternativa aos Correios

A Pegaki anunciou que vai ampliar sua solução de entrega de mercadorias. A startup de logística cria pontos de retirada para compras feitas no e-commerce. Antes, a solução estava disponível apenas para quem comprasse em e-commerces parceiros. Agora, os consumidores podem comprar em qualquer loja virtual e retirar seu pedido em um estabelecimento comercial escolhido.

Como funciona

A startup catarinense se apresenta como uma alternativa aos Correios. Para usar o serviço, o cliente entra no site da Pegaki e faz um cadastro informando o CEP do local onde está, para receber indicações de pontos de retirada próximos daquele endereço.

Após escolher o produto que quer comprar, o consumidor informa em qual e-commerce vai fazer a compra. Ele recebe um e-mail com o endereço do ponto de retirada e um código, que deverão ser utilizados na página de compra do produto.

Com o código e o endereço em mãos, o cliente preenche a página de compra no e-commerce e, no endereço de entrega, insere o endereço do ponto de retirada. O código deve ser inserido no campo complemento. O código entra no sistema da Pegaki e, assim que o produto chegar no ponto de retirada, o cliente recebe um SMS avisando. A taxa de utilização do serviço é de R$ 4,95 por compra. São permitidas apenas entregas que não excedam 15kg.

A Pegaki disponibiliza mais de 600 endereços para a retirada. Farmácias, shopping centers e supermercados estão na lista. Hoje, a startup atua apenas em São Paulo. O objetivo é alcançar 3.000 pontos de retirada, quase a metade do número de agências dos Correios. A responsabilidade de entregar o produto no ponto de retirada é do e-commerce.

A proposta da Pegaki não é trabalhar com lockers, e sim com espaços ociosos nos estabelecimentos. A intenção é gerar valor para todos os envolvidos: o e-commerce, que ganha mais uma forma de entrega, o estabelecimento, que atrai mais pessoas e o consumidor, que pode escolher quando e onde retira seu produto.

Parceiros

O modelo inicial da Pegaki não trabalhava diretamente com o consumidor. O CEO e fundador da empresa, João Cristofolini diz que a primeira solução continua funcionando normalmente: os e-commerces parceiros inserem em sua página a opção de retirar em um dos pontos. “A ideia é ele (consumidor) tenha a liberdade de usar a proposta de logística da Pegaki em todas as suas compras e não esperar que aquele e-commerce seja um parceiro nosso para usufruir dos pontos de retirada”, explica Cristofolini.

Cristofolini está otimista com o lançamento do novo serviço, ele acredita que o modelo já foi bem recebido pelos consumidores no Brasil. “As pessoas não toleram mais atrasos nas entregas, não podem ficar em casa esperando o dia que a encomenda vai aparecer e também não conseguem ir a uma agência dos Correios porque estão trabalhando. Esse modelo de pick up points dá ao consumidor a possibilidade de ir buscar sua compra em um estabelecimento próximo da sua casa ou do seu trabalho em um horário que cabe na agenda dele”, reforça.
Em 2019, a Pegaki pretende lançar três novos formatos de serviços para esses comércios eletrônicos parceiros. As novidades são: pontos de retirada exclusivos; inserção de pontos de coleta de mercadoria para as transportadoras e expansão do serviço de logística reversa.

Fonte: Portal no varejo

Correios deixarão de entregar baterias de smartphones e notebooks em 2019

Os Correios deixarão de entregar, para boa parte dos trechos, encomendas contendo baterias e pilhas de lítio ou íons de lítio – encontradas, entre outros, em smartphones e notebooks. Para algumas localidades, será proibido o envio, inclusive, se estiverem acopladas ao aparelho. A restrição passa a valer a partir de 31 de janeiro de 2019.

Segundo a estatal, despachos contendo baterias e pilhas nas modalidades Sedex 10 e Sedex 12 (estadual e nacional), Sedex simples nacional e quatro trechos do Sedex simples estadual não serão mais aceitos, estando ou não as baterias acopladas ao produto.

Postagens locais são aquelas cuja origem e destino estão em uma mesma cidade ou sua região metropolitana. Já a estadual compreende origem e destino em cidades distintas, porém dentro do mesmo estado. As de âmbito nacional contemplam origem e destino em cidades de estados diferentes.

Já no caso do PAC, Sedex Hoje e Sedex Local (todos os trechos), além do Sedex 10 e Sedex 12 locais, o envio só poderá ser feito caso a bateria esteja acoplada ao aparelho. “Baterias que estejam fora não poderão ser postadas em nenhuma hipótese”, afirmaram os Correios ao E-Commerce Brasil.

Na prática, isso significa que não será possível mais enviar as baterias separadamente, ao menos não pelos Correios. Isso vale também para o caso de celulares em que a bateria vem fora do aparelho, mas na mesma caixa.

A empresa afirma estar seguindo orientação da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), que publicou, em janeiro deste ano, regulamento sobre o transporte de objetos perigosos em aeronaves civis.

Ao E-Commerce Brasil, a Anac informou que a restrição existe desde 2016, seguindo determinação da Organização de Aviação Civil Internacional (OACI), e vale para todas as transportadoras.
Fiscalização

De acordo com os Correios, foram definidos procedimentos de segurança a serem adotados pela rede de atendimento da empresa.

“No momento da postagem do objeto, o cliente será questionado, tal qual ocorre nos check-in de aeroportos, sobre a existência de bateria ou pilhas. Os clientes que possuem contratos com os Correios também estão sendo orientados”, disse a empresa, em nota.

“As encomendas permanecerão sendo postadas fechadas e não haverá conferência invasiva, pelo fato de os Correios não serem órgão fiscalizador. O remetente continua sendo responsável por observar a legislação que regulamenta o serviço postal e, neste caso, a aviação”, concluiu.

Nos casos em que a bateria estiver dentro do aparelho, o atendente avaliará se o trecho em questão consta entre os permitidos. Em caso positivo, a postagem será aceita normalmente. Caso contrário, a postagem não será aceita.

Como os procedimentos de segurança serão realizados no momento da postagem, não deve existir necessidade de devolver encomendas aos lojistas, afirmou a nota.

Fonte: E-Commerce Brasil

Correios expande uso de radiofrequência para agilizar serviços

O uso da tecnologia de radiofrequência (RFID, na sigla em inglês para Radio Frequency Identification) para o rastreamento de objetos do fluxo postal internacional será ampliada no Brasil. Os Correios e a União Postal Universal (UPU) – agência especializada da Organização das Nações Unidas (ONU) para os serviços postais – iniciaram a implantação da terceira etapa do projeto QMS (Quality Monitoring System – em português, Sistema Global de Monitoramento). O projeto, que irá ampliar de cerca de 350 para mais de 2.300 a quantidade de portais RFID no País, contará com apoio técnico da Associação Brasileira de Automação-GS1 Brasil, uma vez que a tecnologia escolhida tem como base o padrão global EPC/RFID GS1.

Ao todo, o QMS envolverá 200 unidades operacionais dos Correios até o início de 2021. A radiofrequência permite que a identificação dos objetos seja feita via transmissão de dados por meio de etiquetas inteligentes dotadas de um chip interno, conhecidas como TAGs. De acordo com os Correios, a instalação das antenas permitirá que essas etiquetas sejam lidas automaticamente por meio de sinais de radiofrequência, permitindo identificar, rastrear e gerenciar envelopes e pacotes de forma individualmente ou em lotes, sem ter a necessidade de manusear o objeto, em complemento à atual leitura manual dos códigos de barras.

O sistema aberto e o padrão global GS1 permitem que o projeto adotado pelos Correios seja integrado a outros parceiros e operadores logísticos. “Isso trará uma melhoria importante aos processos postais como um todo”, destaca Ricardo Melo, executivo de negócios da Associação Brasileira de Automação-GS1 Brasil. Melo lembra que, desde o primeiro semestre de 2017, os Correios e a GS1 têm trabalhado juntos em uma cooperação técnica de forma a identificar as principais demandas na área de automação e definir também quais padrões seriam mais adequados ao projeto. A partir de agora, com a instalação dos novos portais, essas premissas começarão a se tornar realidade. “As informações serão coletadas e tratadas em tempo real e com mais precisão no sistema dos Correios, ampliando a agilidade e a segurança dos dados”, reforça Melo.

Atualmente, os Correios contam conta com cerca de 350 antenas instaladas em 19 unidades operacionais, as quais são utilizadas pela União Postal Universal para medir o desempenho da entrega de cartas internacionais, de forma amostral. Com a expansão, além de aumentar a cobertura desse monitoramento, o sistema a ser desenvolvido permitirá monitorar as encomendas nacionais que possuam etiquetas com chip, gerando novos eventos de rastreamento.

Fonte: Paranashop (leia o artigo completo)

Correios de Portugal e do Brasil querem facilitar e-commerce

O novo acordo entre os CTT e os ECT deverá permitir a redução do tempo média de entrega de encomendas registadas entre os dois países..

Os correios de Portugal (CTT) e do Brasil (ECT) firmaram um novo acordo que poderá contribuir para incrementar o comércio electrónicos dos dois países. A parceria visa aumentar a competitividade dos produtos de correio expresso que suportam parte das trocas comerciais entre os países.

Segundo os prestadores de serviços, até agora, as encomendas registadas em circulação entre o Brasil e Portugal precisavam de, em média, 40 dias úteis para ser entregues após a desalfandegamento dos objectos. Com o novo acordo, a previsão é que esse prazo caia para uma média de 12 dias úteis, avançam os correios do Brasil.

Uma das mudanças previstas com o acordo assinado a 27 de Outubro, é a melhoria na qualidade de informação nos fluxos postais, permitindo um rastreamento mais completo que facilita a previsão de entrega das encomendas postadas principalmente para quem efectua compras e vendas pela Internet, explicam os ECT.

Na prática, o acordo prevê a migração do tratamento das encomendas de correio electrónico que, na maior parte das vezes chega ao Brasil através de correio registado e simples para uma plataforma mais qualificada, em conformidade com as condições de recepção brasileiras “Novo Modelo de Importação”, que abrange o envio de informações electrónicas, explicam os correios do Brasil, citados pela IDGNow.

“O comércio electrónico é (…) um dos eixos estratégicos de desenvolvimento dos CTT e acreditamos que estes acordos agora assinados com o Brasil são uma das chaves para o desenvolvimento das trocas neste corredor atlântico, aproveitando a crescente digitalização da economia e a ligação tradicionalmente relevante entre as comunidades de nacionais de ambos os países”, disse, recentemente, Francisco de Lacerda, presidente-executivo dos CTT.

As duas empresas (CTT e ECT) têm vindo a firmar acordos para facilitar este tipo de transacção. Recentemente anunciaram a redução conjunta das “condições de remuneração que praticam entre si, viabilizando desse modo o lançamento de ofertas de correio expresso premium mais competitivas, para clientes de comércio electrónico que vendem entre os dois países”, explicam os CTT em comunicado.

A um nível logístico, “os acordos introduzem níveis de informação de melhor qualidade nos fluxos de tráfego entre os dois países, o que permite reforçar a prestação de informação de rastreamento e previsão de entrega quer a clientes, quer a destinatários”.

Fonte: Computerworld (Leia o artigo completo)

 

Descubra 10 soluções dos Correios para e-commerce

Comprar pela internet é algo que se tornou comum na vida de muitos brasileiros. Só para se ter uma ideia, pesquisas apontam crescimento de até 15% em 2018. O faturamento deve chegar aos R$ 69 bilhões (em 2017 foram R$ 59 bi). O ano pode fechar com cerca de 220 milhões de pedidos pela internet. Os dados são da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm).

E para atender tantos pedidos feitos em milhares de empresas, os Correios, principal fornecedor de soluções para quem compra e para quem vende pela internet, está investindo pesado. Até 2020 serão investidos 108 milhões de dólares na implantação de novos sistemas automatizados de triagem.

Conheça 10 serviços que os Correios disponibilizam para quem trabalha com e-commerce:

Pacotes de serviços de encomendas para o e-commerce

São disponibilizados pacotes específicos para as empresas que atuam no e-commerce, com preços mais atrativos para o envio rápido pelo SEDEX, para quem tem pressa, e PAC, para quem deseja economia.

  • Gerenciamento de postagem

Os Correios oferecem facilidade e rapidez na preparação das postagens e gestão das informações sobre as encomendas postadas. Além de proporcionar consulta online do CEP, endereçamento padronizado, rastreamento, relatórios gerenciais entre outras funcionalidades.

Os Correios podem se integrar com as lojas virtuais para que o comprador possa informar apenas o CEP ao cadastrar um endereço de entrega quando faz uma compra e também calcular o frete automaticamente.

  • Clique e Retire

A funcionalidade, conhecida no mercado de comércio eletrônico como “Click & Collect”, consiste na retirada de encomenda nas mais de 6,7 mil agências dos Correios, em todo o Brasil, por compradores que manifestarem essa preferência na compra online, sem cobrança adicional. O cliente realiza compra na loja virtual que tenha essa funcionalidade cadastrada e a encomenda é encaminhada para a agência escolhida pelo comprador, que recebe notificação por SMS sobre a disponibilidade do seu pedido. O número de telefone celular pode ser cadastrado no site e atualizado no portal dos Correios.

Outra opção dos Correios é o aperfeiçoamento de seus mecanismos de rastreamento de encomendas. Os carteiros contam com smartphones para que a confirmação das entregas se dê em tempo real.

  • Pagamento na entrega

Os Correios oferecem a opção de entregar o produto condicionada ao pagamento pelo destinatário no momento da retirada da encomenda nas agências dos Correios.

  • Logística Reversa

É o serviço de remessa de documentos e mercadorias em devolução, sem ônus ao remetente, para serem entregues exclusivamente no endereço indicado pelo cliente, podendo ser uma localidade diferente do endereço de sua sede.

Permite a coleta do objeto em domicílio ou a postagem em agência por meio de autorização de postagem (e-ticket) e está disponível em 4 modalidades:

  • Logística Reversa Domiciliar

A coleta é realizada no endereço indicado pelo cliente, admitindo-se duas tentativas de coleta em dias úteis consecutivos e permite o agendamento da coleta para realização em até trinta dias após a efetivação do pedido, sempre a critério do cliente.

  • Logística Reversa Simultânea Domiciliar

A coleta é realizada no endereço indicado pelo cliente, mediante a entrega simultânea da mercadoria ou documentos a serem substituídos, para retorno ao endereço também por ele indicado.

  • Logística Reversa em Agência (e-ticket)

Essa modalidade permite a postagem em agências próprias (AC) e franqueadas (AGF) em todo país, por meio da apresentação de um Código de Autorização de Postagem, por parte do remetente do objeto. No entanto, quando houver autorização para fornecimento de embalagem a postagem ficará restrita às unidades próprias. O cliente emite essa autorização, determina os dados de endereçamento tanto do remetente quanto do destinatário e autoriza o remetente a enviar-lhe o objeto ou documento, informando-lhe o Código de Autorização de Postagem

  • Logística Reversa Simultânea em Agência

Processo logístico reverso, realizado em uma Agência de Correios Própria, que consiste na postagem do produto de retorno simultaneamente a entrega do produto substituto em uma Agência Própria dos Correios

  • Embalagens

Os Correios disponibilizam “Guia Técnico de Embalagens Recomendadas pelos Correios” (clique aqui para acessá-lo), no site da empresa, onde estão todas as informações sobre o correto acondicionamento dos produtos e o padrão adequado das embalagens.

Os Correios oferecem também embalagens desenvolvidas para proporcionar uma entrega segura, à venda nas agências ou por meio da loja virtual dos Correios.

  • Importa Fácil

Ficou mais fácil receber suas encomendas internacionais!

Os Correios, em parceria com a Receita Federal, criaram uma plataforma eletrônica que irá garantir celeridade e comodidade no recebimento de remessas internacionais, além de proporcionar maior segurança tanto para quem compra quanto para quem vende. Saiba mais: https://bit.ly/2zjW4AL.

  • Exporta Fácil

O serviço foi criado para atender, principalmente, pequenos e médios empresários, mas está disponível para empresas de todos os portes. Além de oferecer rapidez no processo de desembaraço aduaneiro, outra vantagem do Exporta Fácil é que ele permite exportações de qualquer cidade do Brasil, mesmo daquelas onde não há presença física da Aduana.

As empresas também podem se aproveitar da tendência de logística colaborativa, que consiste, resumidamente, na utilização dos mesmos recursos por empresas diferentes, com o objetivo de reduzir custos. Nesse sentido, os Correios oferecem o Correios Log+, solução completa de logística para o e-commerce, desde a armazenagem e atendimento dos pedidos até o pós-venda.

Fonte: Diário da região (Leia o artigo completo)