Pagamento não confirmado

Pagamento não confirmado pela operadora , o que fazer ?

Se você comprou algum produto pela internet, pagou pelo produto, recebeu um código de rastreio, logo depois o status de objeto encaminhado, pagou a taxa de Despacho Postal e mesmo assim recebeu a mensagem de: Pagamento não confirmado, veja nossa sugestão do que fazer.

Para ultrapassar essa situação, sugerimos que:

  • Entre em contato diretamente com uma agência de correios mais próxima da sua residência
  • Informe referindo o número da sua encomenda / rastreio, semelhante a esse exemplo:  AB123456789CD,  para mais informações a respeito do sucedido
  • Apena uma agência dos Correios poderá verificar o que aconteceu, uma vez que esse processo depende deles
  • Leve o comprovante de pagamento do Despacho Postal

Como faço para realizar o pagamento do Despacho Postal?

Caso sua encomenda não seja tributada, a informação sobre a necessidade de pagamento do Despacho Postal será disponibilizada no Sistema de Rastreamento de Objetos – SRO (www.correios.com.br/rastreamento). Para proceder o pagamento, o primeiro passo é realizar a pesquisa do objeto no rastreamento e cadastrar-se no idCorreios. Após esse cadastramento, será possível efetuar o pagamento pela internet, por meio de boleto bancário ou cartão de crédito.

Leia também: Correios afastam AliExpress do Brasil

Qual o prazo para confirmação do pagamento por boleto bancário?

O prazo é definido conforme as regras de compensação bancária da instituição financeira responsável pela emissão do boleto. Em geral, o pagamento é confirmado entre 1 (um) e 3 (três) dias úteis.

Após realizado o pagamento, qual o prazo para entrega da encomenda?

Após a confirmação do pagamento, os itens serão encaminhados diretamente ao endereço do destinatário, conforme os prazos de cada modalidade de envio. Para verificar os prazos, clique aqui.

Leia também: Por que a sua compra vinda da China demora chegar?

 

IMPORTANTEEndereço Incorreto, o que fazer?

Você sabia que toda compra internacional é uma importação?

Ao fazer compras em sites de outro país, você está importando uma mercadoria, que quando chega ao Brasil, tem que passar pela alfândega e atender à nossa legislação. A esse procedimento chamamos desembaraço aduaneiro e sua execução engloba atividades administrativas de suporte que geram custos. Os operadores logísticos cobram do importador um valor específico para cobertura destes custos. Nos Correios, esse serviço é chamado de Despacho Postal.

Despacho postal não é tributo nem frete e o seu pagamento é obrigatório para a liberação da encomenda.

O preço cobrado atualmente pelos Correios é de apenas R$ 15,00, cerca de quatro vezes menos que o valor médio praticado por empresas concorrentes para realizar os mesmos procedimentos. Além de oferecer o melhor preço, os Correios facilitam a vida do consumidor: o pagamento do Despacho Postal pode ser feito pela internet; basta acessar o link de rastreamento do objeto.

O Despacho Postal trata-se de um serviço inerente ao processo de importação e que tem sua cobrança não só praticada pelo segmento de encomendas, como convencionada pelo setor postal mundial. Por isso, todas as encomendas recebidas no Brasil, independentemente de serem tributadas, estão sujeitas à cobrança deste serviço.

Caso seu objeto seja liberado sem tributação, o pagamento do Despacho Postal é mais simplificado podendo ser realizado diretamente na página de rastreamento. Já para as encomendas tributadas é necessário acessar o ambiente Minhas importações.

Fonte: Correios

Serviço dos Correios recebe prêmio por utilidade pública e inclusão social

Os Correios, em parceria com Visa e Brasil Pré-pagos, ganharam o 10º Prêmio Tela Viva Móvel com o case Pague.Mobi, na categoria Utilidade Pública e Inclusão Social, por votação popular. A divulgação dos premiados foi realizada na última segunda-feira (14), em São Paulo.

Este ano, o Prêmio Tela Viva Móvel 2018 recebeu mais de 80 inscrições de cases lançados no ano passado no Brasil, distribuídos entre cinco categorias: Chatbots; Entretenimento; Mobile Marketing; Utilidade Pública e Inclusão Social; e Vida Móvel.

Com base em três critérios (inovação, execução e resultados), o júri selecionou 25 finalistas, cinco em cada categoria. Esses finalistas participaram de uma votação popular ao longo de duas semanas.

Além disso, o case Pague.Mobi também recebeu o troféu especial por ter sido o mais bem votado pelo público entre todos os finalistas de todas as categorias.

Pague.Mobi – Os mais de 55 milhões de brasileiros que não têm conta bancária podem, por meio do Pague.Mobi, ser incluídos na lista de consumidores de qualquer empresa que participe do serviço. Esses consumidores, em qualquer lugar do Brasil, podem adquirir um produto e fazer o pagamento por meio de uma conta Pague.Mobi em qualquer agência dos Correios, utilizando apenas o CPF.

A conta.Mobi foi desenvolvida para empreendedores, microempreendedores individuais, vendedores autônomos, prestadores de serviços, comerciantes e para quem trabalha por conta própria e busca uma plataforma on-line para organizar as finanças, profissionalizar os negócios e vender mais utilizando os serviços de recebimento e pagamento.

Com o serviço, os Correios se tornaram um canal de pagamento para carteiras digitais. Qualquer pessoa que for a uma das mais de seis mil agências próprias podem realizar um pagamento ou depósito para um usuário de uma conta digital: basta informar o CPF dele. O caixa dos Correios emite um comprovante e o dinheiro entra na conta digital do beneficiário dentro de dois dias úteis.

Fonte: Correios

Porque as cartas precisam de selos

Para que serve os selos nas cartas?

Antes de existirem os selos, o serviço de correio tinha grandes prejuízos. Isto acontecia porque mandar cartas era uma coisa muito complicada.

No início do século 19, enviar uma mensagem era um processo demorado e caro. E o mais interessante é que quem pagava pelo serviço era quem recebia a carta. Muita gente não tinha dinheiro, não recebia a encomenda e o correio terminava fazendo uma viagem perdida.

selo do snoopy

Isso só mudou em 1840, na Inglaterra, quando foi criado o primeiro selo reconhecido oficialmente pelos historiadores. Para resolver o problema que o correio tinha de chegar à casa do destinatário e ter que voltar com a encomenda, porque a pessoa não tinha como pagar, o educador e administrador Rowland Hill elaborou uma proposta de reforma postal.

Ele sugeriu a redução das tarifas e a adoção de um preço uniforme, independente da distância entre remetente e destinatário. O valor também só seria cobrado na hora da postagem, sendo que um pequeno papel autoadesivo colado ao envelope comprovaria o pagamento.

O projeto de Hill entrou em vigor com a tarifa de 1 penny (moeda inglesa de pequeno valor) para cada meia onça (em torno de 15 gramas) de peso da correspondência.

Então, já sabemos por que usamos selo. É uma maneira de provar que o que estamos enviando já está devidamente pago!

Fonte