Empresa suspeita de superfaturamento nos Correios é contratada para analisar privatização da estatal

"Apuração interna à qual o Estadão teve acesso apontou prejuízo de R$ 10,9 milhões em negócio fechado em 2017 com a Accenture"

Apuração interna à qual o Estadão teve acesso apontou prejuízo de R$ 10,9 milhões em negócio fechado em 2017 com a Accenture

BRASÍLIA –  Responsável por elaborar um plano para a privatização dos Correios, a consultoria Accenture é suspeita de superfaturar contratos com a própria estatal e com uma subsidiária. Apuração interna feita pela companhia pública, à qual o Estadão teve acesso, apontou prejuízo de R$ 10,9 milhões em negócio fechado em 2017. O Ministério Público Federal apura este acordo e um negócio anterior da empresa, firmado um ano antes, no valor de R$ 36 milhões.

Rastrear Correios Rastrear sua encomenda grátis

Mesmo assim, a consultoria foi escolhida pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) em agosto deste ano para realizar estudos a fim de conceder à iniciativa privada os serviços postais no Brasil.  A licitação aberta pelo banco foi vencida pelo consórcio Postar – que além da Accenture inclui o escritório Machado, Meyer, Sendacz, Opice e Falcão Advogados – e prevê o pagamento de R$ 7,89 milhões. A privatização da empresa, atualmente presidida pelo general Floriano Peixoto, ex-ministro da Secretaria-Geral da Presidência, é uma promessa de campanha do presidente Jair Bolsonaro.

Fonte: https://politica.estadao.com.br